sexta-feira, 17 de junho de 2011

Nuno Crato

O novo ministro da Educação é de longe a melhor escolha para o lugar. Nuno Crato apresenta duas grandes vantagens: conhece muito bem o sector e não está contaminado pelo trio eduquês-socialistês-sindicalês. Para além disso é alguém que sempre defendeu a disciplina, o rigor e a exigência, que sempre reconheceu e respeitou o difícil e valioso trabalho dos professores e, bastante importante, é uma pessoa sensata. Todas estas qualidades não são coisa pouca num ministro da Educação.
Paradoxalmente serão precisamente as suas largas virtudes que lhe tornarão  difícil a implementação de uma agenda reformadora. O sistema educativo está minado por uma ideologia socialista que privilegiou o centralismo, o controlismo, o faz de conta, a indisciplina, a burocracia e o enxovalhar dos professores. Não será tarefa fácil.
Apesar das dificuldades, esperam-se medidas como:
- A reorganização e ampla redução - e quiçá pulverização - do gigantesco complexo administrativo-burocrático-controleiro do Ministério da Educação, com a eliminação de organismos como as DRE's, os gabinetes disto e daquilo, a DGDIC, etc etc etc;
- A reorganização do currículo do ensino básico, com a extinção das áreas curriculares não disciplinares, vulgo estudos acompanhados e afins;
- A introdução de uma cultura de exigência e de rigor com o alargar dos exames a todos os ciclos de ensino, a mais disciplinas e com peso na nota final dos alunos;
- A revisão do pernicioso sistema de avaliação de alunos - que mais não é do que uma máquina de produção de sucesso estatístico a martelo - focando-o nas aprendizagens e no trabalho dos estudantes;
- A revogação imediata do sistema de avaliação de professores e o início da testagem de outro que privilegie as aulas e o ensino em detrimento do show off, dos projectos e da burocracia, e que permita afastar os aselhas das salas de aula;
- A revogação do Estatuto do Aluno e a passagem para as escolas da definição de regras de conduta e de comportamento, que permitam não só reforçar a autoridade dos professores, mas principalmente fazer baixar o nível calamitoso de indisciplina que mina a maior parte do trabalho nas aulas e impede as aprendizagens.
Se Nuno Crato e a sua equipa conseguirem aplicar este conjunto de medidas e princípios, será talvez a primeira vez desde o 25 de Abril que o ensino dará um salto qualitativo. Se não o conseguirem, estar-se-á perante o exemplo acabado de uma área condenada e irreformável.

16 comentários:

mafalda disse...

parabens pelo seu artigo, não sou professra mas sei avaliar a situação dos professores,muito bem escrito,e observado.cotovia

RioD'oiro disse...

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2011/06/recortes-de-nuno-crato.html

António Penetra disse...

Concordo contigo David. Se nada mudar desta vez o melhor será acabar com o ministério da educação.

Anabela Magalhães disse...

Certíssimo, David! Espero, sinceramente, que Nuno Crato consiga introduzir alterações de fundo na máquina de pesadelo que é o ME.
Bj

RioD'oiro disse...

AP:

"Se nada mudar desta vez o melhor será acabar com o ministério da educação."

Calma, calma. Eu começaria por aí. Fechava o Ministério da "Educação" e abria, a 200Km, o Ministério do Ensino.

David Levy disse...

@ RioD'oiro

Obrigado pela referência.

O Ministério da Educação, remodelado, daria um bom hotel.

RioD'oiro disse...

DL

"O Ministério da Educação, remodelado, daria um bom hotel."

Se não for estatal. Se for, acaba como albergue de "matrizes":
http://almas-mortas.blogspot.com/2011/05/anais-da-justica-8.html

:)

Safira disse...

Concordo inteiramente. Se não se importa vou levar o post comigo...

Obrigada!

David Levy disse...

@ Safira

Leve à vontade :)

Olinda disse...

Gostei muito. Vou divulgar.

Ana Lento Marques disse...

Assim que soube quem era o nosso novo Ministro pensei logo em ti...
Sabia que iria ler algo de muito inteligente e sensato aqui no teu blog...

Concordo inteiramente contigo David e espero muito do Nuno Crato como "comandante deste nosso navio desgovernado"...

Parabéns pelo artigo

Pingus Vinicus disse...

Parabéns David. Partilho a tua opinião e sou, desde há muito tempo, um seguidor do Nuno Crato.
Aguardo que a Educação dê a volta, caso contrário, estamos literalmente perdidos.

joshua disse...

Bravo, meu caro. Absolutamente de acordo.

mil disse...

Concordo consigo. Eu se fosse Nuno Crato punha uma bomba no ME e depois corria com os comissários políticos das escolas -tb chamados directores e nomeados pelo socialismo. Estes, ou são loucos (mesmo dos que não deviam sair do hospício), ou perante a total indisciplina de alunos do secundário diz a quem se deles queixa que os papás são burgueses poderosos (sic)e põe as centenas de queixas no caixote do lixo.

Desculpe pelo desabafo, mas depois disto ainda se vê que o país continua no escalão mais baixo da literacia. O gozo dos putos não os fez competentes. E perdemos 20 anos...

Anónimo disse...

Espero que seja feito, e com urgência, tudo o que foi escrito. pode começar pela avaliação dos professores, Estatuto do Aluno e continuar ...

MilIdeias disse...

David, parabéns pela análise que fazes. Seria quase uma utopia se Nuno Crato pudesse "mexer" em tanta coisa!!Atenção,porém, à maior autonomia que se pretende dar à ESCOLA, pois os compadrios vão continuar a existir ...Veremos!