quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Palestiniónio

Surgiu mais um precalço à teoria pallywoodesca que atribui a morte de Arafat a envenenamento por polónio e as culpas do sucedido a Israel: o chefe da agência médica e biológica da Rússia diz que sua investigação sobre a morte do líder palestino Yasser Arafat não encontrou nenhuma indicação de envenenamento radioativo. Trata-se de um revés sério, pois de pouco servirá descredibilizar a fonte, visto que se há coisa de que os russos percebem é de radiação. Com o tempo ainda se descobrirá que Arafat foi envenenado com palestiniónio que alguém próximo lhe pôs na sopa.

2 comentários:

I. B. disse...

Os israelitas de certeza que criaram um veneno indetectável para aniquilar o famoso terrorista egípcio, talvez lançado com uma zarabatana atómica. Ou quiçá usaram um boneco vudu.

IB

Anónimo disse...

Esta noticia deixou-me bem disposto. E como os resultados foram apresentados pelos russos (que, infelizmente, são tendencialmente anti-semitas), ninguém pode por em causa a independencia dos investigadores.
EJSantos