quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Lisboa vandalizada

Entrada da estação do Rossio - Metropolitano de Lisboa.

9 comentários:

Anónimo disse...

O GULAG nunca existiu, Estaline nunca matou ninguém, a URSS gozava das mais amplas liberdades e a Coreia do Norte é uma democracia exemplar...
F.G.

Anónimo disse...

Não tem que saber: mandar limpar e mandar a factura ao Secretário-geral dos grunhos.
JM

Lura do Grilo disse...

Borram tudo estes comunistas. O que me admiro é que façam isto e nunca sejam apanhados para pagar os danos causados à propriedade.

José Jesus disse...

Parece que voltámos ao PREC. Nunca esquecerei aquela campanha abjecta do «Carneiro, Diga 33». pelos vistos, o falecido Sá Carneiro devia 33 mil contos ao Banco (coisa rara, nunca ninguém pediu um empréstimo), e isso serviu-lhes de arma de arremesso.

Concordo que a factura da limpeza deve ser enviada à Odete e ao Jerónimo.

José João de Jesus

EJSantos disse...

Hmm, e a proprietária do espaço não pode processar esses idiotas por vandalismo?

Anónimo disse...

Francamente revelo que tenho por tudo o que é comunista um ódio visceral, um ódio genuíno que me faria, caso a situação o propiciasse, pegar em armas contra essa gente, representante da estirpe mais hipócrita e autoritária que a sociedade portuguesa já viu - e por isso, pois essa gente move poder e influência com vergonhoso vigor, estamos como estamos: no fundo.

Força, Israel (mas não seria má ideia dar mais força ao processo diplomático, isolando a escória do Hamas e expondo perante o mundo, vezes sem conta até que este o entenda, que o Hamas não passa de um grupo terrorista).

DL disse...

O proprietário é o Metropolitano de Lisboa.

Lura do Grilo disse...

Lamentável ainda a descaracterização do significado de genocídio.

Anónimo disse...

Lamentável . Mas o que apetece mesmo é escrever por cima em letras garrafais " VAI HAVER PAZ QUANDO RECONHECEREM O ESTADO DE ISRAEL SUAS LONTRAS !! "