domingo, 7 de fevereiro de 2010

O louco de Teerão volta a atacar

O presidente do Irão, Mahmoud Ahmadinejad, deu hoje mais um passo em direcção ao abismo: ordenou que se iniciasse a produção de urânio altamente enriquecido. A justificação oficial é a mesma de sempre: a necessidade de alimentar as centrais nucleares do país. Desculpa por si só esfarrapada, pois o Irão tem importantes reservas energéticas, sob a forma de petróleo, não necessitando de recorrer ao nuclear para suportar as necessidades do país.
As verdadeiras intenções são outras: possuir a bomba nuclear, e com ela riscar Israel do mapa. A primeira intenção tem sido escondida, mas a segunda é amplamente divulgada. Estranha-se por isso, que os "pacifistas" de serviço não façam uma manifestação de protesto junto à Embaixada do Irão.

12 comentários:

Anónimo disse...

Essa da do urânio enriquecido ser para produzir energia é uma treta. Segundo as notícias, eles vão enriquecer urânio a 20%, com o isótopo 235. Ora como para servir de combustível, o urânio precisa de ser enriquecido até um máximo de 5%, depende do tipo de reactor, a única conclusão lógica é que este enriquecimento só pode servir para fins bélicos. Infelizmente o Ocidente está cheio de imbecis, que nem contas de somar sabem fazer, como esses que o Levy refere, que não vão mexer uma palha, para acabar com estes tresloucados. Esperemos que Israel, ao contrário da Europa e dos EUA, não se fique só pela retórica...
FG

Cirrus disse...

Tenho uma secreta esperança que este regime dos ayatollahs não se aguentará por muito mais tempo. Quanto ao facto de o Irão aniquilar Israel, bem sabemos que isso seria recíproco, pelo que nem mesmo este Há Minis Geladas seria o suficientemente louco. Se o fosse, já teria iniciado uma guerra convencional com Israel há muito. Quer marcar posição, tal como o Paquistão fez com a Índia aqui há anos. E ora aí está o que me preocupa verdadeiramente no Médio Oriente: o Paquistão.

Ramiro Marques disse...

A esquerda portuguesa é islamófila e anti-judaica.
É pena que seja assim. Sempre desculpou o terrorismo islâmico porque tem profundo ódio aos EUA e a Israel.

Levy disse...

@ Cirrus,

Não diria tanto. O Irão quer dominar todo o mundo muçulmano, e pelo caminho destruir o estado judaico. Não com uma guerra convencional, porque dessas já o Irão teve uma e deu no que deu.

Levy disse...

@ FG

Esperemos que não seja preciso fazer com o Irão o que se fez com o Iraque e com a Síria...

Levy disse...

@Ramiro


Ela não se intitula de anti-judaica, que isso soa mal, auto intitula-se de "anti-sionista", que é precisamente a mesma coisa, mas já pode dizer á vontade.

Cirrus disse...

Levy, uma?! Não, não acredito nisso. O Irão sabe que nesse processo seria destruído igualmente. Não seria nunca solução. Ele atira umas papaias para o ar e quem quiser que as apanhe, e vai irritando quem apoia Israel. Quanto à esquerda portuguesa ser anti sionista (que não é nem parecido com anti-judaica, e o Levy sabe-o bem), é quase como a direita ser anti-árabe por ter profundo ódio aos produtores de petróleo. Há de tudo para todos os gostos. Isto de esquerdas e direitas é muito giro, mas o facto é que há muita gente a odiar muita gente. E não me venham dizer que uns odeiam mais que os outros, pois isso... É treta!

Levy disse...

@Cirrus

Referia-me à guerra irão-Iraque.
Quando me refiro à esquerda refiro-me ao BE e ao PCP. Que têm posições anti-sionistas. Mais o BE que o PCP. Eu sei que não é o mesmo que anti-judaica, mas muito anti-sionismo serve para esconder o anti-semitismo.

provocação disse...

Levy, entende agora a questão que leva a um conflito de consciência quando chega a hora de votar Bloco de Esquerda... Convencionou-se para o partido que haviam de ser os apoia-coitados sem pensarem o que leva os coitados a serem-no, não se questiona se a própria população prefere ser mártir de uma ideologia e pôr-se debaixo do camião desde que com isso possa apontar o dedo a um judeu. Cambada de idiotas, cada vez menos suporto aquilo em qie o BE se tornou, um partido de moda para palerminhas revolucionários que não tendo arranjado resposta na religião no desporto ou no macramé se viram para uma política virada ao populismo e aos valores do grunge dos anos 90 que é qualquer coisa como vou marrar com tudo e todos mas se calhar fazia melhor em ir tomar banho.
Cirrus, mas em que é que o Paquistão o assusta? Pessoalmente acho mesmo que o problema é o Ahmadinejad e cada vez mais o Yémen.

Cirrus disse...

Menina Ção, não assusta o Paquistão?? Com armas nucleares declaradas, prontas a usar e com 50% do território em mãos Taliban??

Anda distraída ou quê???

provocação disse...

Não acho simplesmente que estejam tão monitorizados para carregar nos botões como isso... quer-me parecer que estão mais focados em matarem-se entre si. Xiitas ft sunitas, chatear de vez em quando Nova Delhi, e temos armas e cuidado que somos maus, mas that's it. Não sei se Israel está assim tão preocupada com eles.

Dylan disse...

Parece que o Mundo está a esquecer-se de outro louco: Kim Jong Il, da Coreia do Norte.