terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O princípio de Peter

aplica-se que nem uma luva a Vítor Constâncio. Depois de anos de manifesta incompetência no cargo de Governador do Banco de Portugal, Constâncio é agora promovido ao lugar de vice-governador do BCE. Se mais incompetente tivesse sido, mais alto subiria. Nada de que não se resolva na próxima vez. Afinal de contas, Jean Claude Trichet há-de sair um dia, e a incompetência de Constâncio é inesgotável. Até lá, vai-se dedicando ao que sempre fez em Portugal: dar a sua caução a tudo o que lhe for apresentado.

2 comentários:

Dylan disse...

Parece bastante surreal a eleição de Vítor Constâncio para vice-presidente do Banco Central Europeu. Não só porque houve um "casamento" de conveniência feito em Bruxelas entre franceses e alemães, mas principalmente pelo seu péssimo desempenho no cargo de Governador do Banco de Portugal. Não se deve escamotear escândalos como os do BPN e BPP nem tampouco desresponsabilizar o papel fiscalizador do Banco de Portugal. Se o seu responsável falhou na supervisão bancária e inclusive foi censurado pelo partido do qual já fez parte, não sei como poderá ter êxito na política monetária europeia. Assim, deveria haver mais prudência em torno desta nomeação para que nem o patriotismo de ocasião rejubile.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

Anónimo disse...

Ainda falamos mal destes em Portugal quando afinal, a Europa civilizada é dirigida por broncos maiores do que esta aventesma..........