sexta-feira, 29 de abril de 2011

Parabéns à tia!

No Largo do Rato já se comemora o chumbo pelo Tribunal Constitucional da revogação da avaliação de professores.
A vice-presidente da bancada socialista, Ana Catarina Mendes, referindo-se à gorada iniciativa da Oposição declarou  que “Não podemos fazer tudo de forma tão atabalhoada e tão atrapalhada, porque o que foi feito gerou uma enorme confusão nas escolas portuguesas e uma enorme ilusão aos professores portugueses”. Sem se dar conta esta deputada  fez um excelente resumo da governação socialista do Ministério da Educação.
Já a ministra da Educação, Isabel Alçada,  fala em "vitória do sistema educativo", como se o ensino ganhasse alguma coisa em manter uma avaliação que não diferencia os professores (99,5% tiveram "Bom" ou superior) tornando-se numa enorme perda de tempo e de recursos (todos conhecem as paletes de papel e as reuniões intermináveis) e que atrapalha a qualidade do sistema educativo (porque enquanto se discutem as obscuras evidências que são utilizadas para avaliar um professor, não se trata daquilo que é essencial, nomeadamente a leccionação das aulas).
Mas nenhum destes efeitos colaterais demove Isabel Alçada e José Sócrates da sua cruzada  contra os docentes. Pelo contrário, ambos estão empenhados em ganhar os votos da imensa claque anti-professores - que apesar de não fazer a menor ideia do que se passa dentro das escolas, está sempre de dedo apontado aos docentes, diabolizando-os e culpando-os de todos os males e mais alguns.
Alçada e Sócrates estão por isso de parabéns, eles e a minoria de professores incompetentes, que com este sistema de avaliação tem conseguido passar por entre os pingos da chuva e continuado a arrastar-se pelas escolas, em alguns casos com notas de "Muito Bom" ou de "Excelente".

3 comentários:

Vamos todos progredir à custa dos otários dos contribuintes! disse...

Os professores fizeram o mal e a cramunha e ainda vêm soberbos reclamar.

Quem devia reclamar é quem trabalha no duro para ganhar pouco dinheiro e ainda por cima tem que pagar impostos para sustentar um classe de priveligiados, já para não falar dalguns marajás do sistema.

David Levy disse...

Caro "Vamos todos progredir..."

Considero que o seu comentário é acintoso:

- não explica que mal foi esse que os professores fizeram;

- Generaliza, falando sempre em "professores" e partindo do principio mentiroso de que os professores têm subido na carreira.

- Os professores trabalham, pagam impostos e provavelmente sustentam mais privilegiados do que você julga.

Se é dos que trabalha no duro, não reclama porquê?

maria disse...

Boa David!