quinta-feira, 21 de abril de 2011

A culpa é das fraldas

A ministra da Saúde também aderiu ao desporto socialista de procurar culpados para a calamitosa situação financeira  em que se encontra o país. E já conseguiu encontrar mais uns quantos: os larápios que fazem desaparecer as fraldas dos hospitais.
Termina assim  a  gestão de Ana Jorge: a tratar dos receptáculos para a  urina e  fezes dos doentes. Apesar disso foi um sucesso, visto que se cingiu a promessas demagógicas de saúde grátis para todos e  à gestão de casos como o das vacinas da pseudo-pandemia de gripe A. Tudo está bem quando acaba bem, e nada melhor que umas fraldas limpas para deixar ao futuro governo.

4 comentários:

Rantanplan disse...

Mas não tenha dúvidas que se rouba muito em todos os serviços públicos.

David Levy disse...

@ Rantanplan

Eu sei. Eu próprio já vi desaparecer tinteiros e etc. Nunca se consegue apurar o culpado. É uma questão de educação e consciência :(

Faroleiro disse...

As pessoas dos serviços públicos são iguais às das empresas privadas. O Controlo da organização e as consequências de ser apanhado é que são diferentes.

É uma questão de diferente qualidade de gestão e de diferente legislação laboral (entre os funcinários públicos e os privados).

A cultura de laxismo perante o roubo que existe acaba quando começam a existir despedimentos por justa causa.

David Levy disse...

Dá direito a processo disciplinar. O problema é apanhar os larápios.