quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Vamos bien

Quando se verificar que as coisas estão piores, José Sócrates já cá não estará para prestar contas. Mas se por acaso for reeleito e estiver, num instante colará as culpas na oposição. Nessa altura irá queixar-se que as coisas estão mal porque não o deixam fazer "as reformas que o país precisa".
Está assim provado que, tal como em Cuba, também em Portugal é possível um partido governar durante anos, levar o país para o abismo, e continuar despudoradamente a repetir que "as coisas estão melhores". Fidel Castro não faria melhor.

5 comentários:

Maldonado disse...

Não sejamos tão dramáticos comparando o incomparável! :-o
No Japão foi muito pior: o LDP foi sendo reeleito durante 50 anos, tendo criado uma situação de prosperidade bastante dúbia...

Levy disse...

Porque é que com cuba é incomparável e com o Japão não é?

Maldonado disse...

É que em Cuba o povo não tem hipótese de escolha, enquanto que no Japão tem. Se o LDP foi reeleito consecutivamente durante 50 anos foi porque o povo assim quis... :)

Levy disse...

Mas o que eu estava a comparar não era a natureza dos regimes, mas aspectos comuns entre eles. Sócrates e Fídel dizem a mesma coisa, ou parecido. Foi isso que eu comparei.

Maldonado disse...

OK. Sendo assim estou esclarecido.