quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Governo corta no papel higiénico

O ministro das Finanças anunciou hoje uma série de cortes na despesa, de forma a compensar os 550 milhões de euros resultantes do acordo com o PSD. A lista enunciada roçou o ridículo, com Teixeira dos Santos a elencar os cortes mais detalhados dos últimos 150 anos. Tudo vai ser cortado, desde o material de escritório - clipes, canetas, lápis - passando pelas palhinhas do refresco, e acabando no material de hotelaria, que é o mesmo que dizer no papel higiénico. É este o estado a que o ministro das Finanças deixou chegar o país.
Teixeira dos Santos está no fim da sua incompetente administração, e ficará na história como o governante que faliu Portugal e terminou a carreira a cortar no material de casa de banho dos funcionários públicos.

5 comentários:

José Gonsalo disse...

Assim, já temos razões para o mandarmos limpar as mãos à parede...

João disse...

Afinal, tudo se resume a engenheria sanitária.

Daniel Santos disse...

falta cortar no que realmente interessa... os boys.

Anónimo disse...

Será que podia fornecer o link para as declarações sobre o papel higiénico?

David Levy disse...

Caro anónimo,

a expressão utilizada foi "material de hotelaria". Como o Governo não tem hotéis, só pode estar a falar de sabonetes, lenços, papel higiénico, e afins...