terça-feira, 9 de novembro de 2010

Professores: 6 anos depois

No próximo mês de Dezembro mais 300 professores vão passar à reforma. Um média de 10 docentes por dia deixa o ensino.
A chegada dos socialistas ao governo iniciou a debandada. As medidas que introduziram  no sistema educativo desorganizaram completamente as escolas, atafulharam-nas em toneladas de papel, fizeram disparar a indisciplina, humilharam e esgotaram os professores e, mais grave do que tudo, desviaram os docentes da sua missão principal que é ensinar. Hoje em dia vale tudo, menos ensinar. Umas macacadas valem muito mais.
O resultado está à vista: as escolas são cada vez mais servidas por uma classe mal paga, desqualificada e desmotivada. Por uma classe destruída. Destruir os professores foi o único grande objectivo que os socialistas atingiram. Todos os outros não passam de fachada e propaganda: desde as aprendizagens que são cada vez mais a fingir, até ao sucesso estatístico que é todo ele fabricado e manipulado.
Chegou-se ao fundo? Não. Quando começarem a chegar às escolas os professores generalistas - fruto de mais uma reforma educativa saída das cabeças da nomenklatura eduquesa do PS - aí sim o grau zero será atingido. Nessa altura, os docentes das escolas públicas estarão reduzidos a serem uns meros animadores e entertainers de alunos pobres e indisciplinados. E já não serão uma classe.

5 comentários:

António Penetra disse...

É isso, ponto.

Anónimo disse...

Uma história verídica: Um familiar meu lecciona a um curso EFA de dupla certificação de nível secundário. Ora, dois meses depois de ter começado, um dos formandos apercebeu-se que afinal já tinha concluído o 12º!?! No ano anterior esteve inscrito num outro curso técnico que também dava equivalência ao 12º só que teve um acidente a meio do curso e nunca mais lá pôs os pés. Não sei durante quanto tempo faltou, mas foi tempo suficiente para o próprio formando julgar que não teria direito ao certificado. Acontece que lhe justificaram as faltas todas e deram-me o 12º, SEM ELE SABER!!! E esta, hein?

RioD'oiro disse...

:)

Lembra a história do gajo que, a seguir ao 25 de Abril, se inscreveu em letras para poder almoçar na cantina da universidade.

Quando deu por ela tinha um canudo.

André disse...

Conciso, certeiro, lúcido.

José António Baptista disse...

Excelente texto.

Infelizmente, é a verdade nua e crua. Até quando!?