sábado, 4 de fevereiro de 2012

Mentiras de Carnaval

Não admira que Portugal tenha chegado à situação financeira calamitosa a que chegou. Os actuais partidos da oposição acham normal que o Estado pague 650 mil dias de salário aos seus funcionários sem que eles labutem uma única hora. É o que acontece sempre que é decretada uma tolerância de ponto no Carnaval. 
Este ano, perante a situação de bancarrota e até para manter algum decoro, o Governo decidiu não dar tolerância aos funcionários. Imediatamente caiu o Carmo e a Trindade. 
O PS, pela voz do seu líder, já veio dizer que está contra porque sim por causa dos dinamismos locais - os socialistas e a eterna mania do palavreado arredondado. O BE também não concorda, porque segundo o seu líder a tolerância de ponto é um dirreito das pessoas, não é um baile, é um direito das pessoas em fazerem o que querem, é um dia em que não são obrigados a trabalhar de graça. A coligação PCP/CGTP segue na mesma linha e acusa o Governo de obrigar os funcionários a trabalharem mais um dia de borla
A argumentação do BE e do PCP, para além de estar impregnada de populismo barato, é pura mentira: o dia de Carnaval foi sempre pago pelo Estado aos seus funcionários, estando incluído no vencimento de Fevereiro (ou Março). Com a existência de tolerâncias de ponto apenas não era trabalhado. Por isso não se entende como é que se permite que estes partidos mintam descaradamente nas televisões sem que ninguém o faça o contraditório de explicar que uma tolerância de ponto é precisamente isso: uma tolerância, não é portanto um direito. E é um dia que custa muito dinheiro, pois o salário dos funcionários é sempre pago apesar do trabalho correspondente não ser realizado. 

4 comentários:

Anónimo disse...

A realidade nua e crua é simples: os funcionários públicos (incluindo os políticos) são empregados duma empresa falida: Portugal. No entanto, e ao contrário das restantes empresas falidas, continuam a receber o salário pontualmente, e ainda não foram para o desemprego.
Enfim, mais uma manifestação da habitual falta de vergonha e xico espertismo destes indígenas...
AM

David Levy disse...

Continuam a receber porque nos emprestaram dinheiro. Um pequeno pormenor a que a coligação PS/PCP/BE parece não ligar nenhuma. O que interessa é manter vivo do direitismoadquiridismo e cair nas boas graças da populaça. O Governo que suje as mãos, porque para a oposição quando mais sujas estiverem melhor.

André Miguel disse...

Clap! Clap! Clap!
Muito bem. Parabéns.

Eduardo disse...

ok, se no carnaval se pagam 650 mil dias de salário sem que se trabalhe, que desperdicio 104 dias (52 fins de semana) x 650 mil trabalhadores sem trabalhar. Já agora, não será melhor campos de concentração de trabalhos forçados? Haja decencia