segunda-feira, 19 de março de 2012

As vítimas

O Rabbi Jonathan Sandler e os seus dois filhos, Gabriel de 4 anos e Arieh de 5 anos, assassinados hoje em Toulouse. A menina Miriam Monsonego de 7 anos também foi morta.
O ataque de hoje  em Toulouse é uma consequência directa do clima anti-semita que se vive em França. A hostilidade para com os judeus provocou nos últimos anos a saída de 15 000 judeus franceses para Israel. A França é aliás um caso peculiar: para além de uma enorme comunidade muçulmana (9% da população), conta ainda com franjas anti-semitas na extrema-direita e na extrema-esquerda, nesta última disfarçadas de anti-sionistas.

8 comentários:

Anónimo disse...

Ambos os judeus e os muçulmanos(norte-africanos) são povos extra-europeus, nenhum desses povos pertence á Europa, portanto voltem para as vossas tertinhas, até os judeus já têm a sua, mesmo á custa de sangue arabe, mas por mim até podem continuar eternamente nas vossas brincadeiras DESDE QUE SEJA LONGE DA EUROPA.

http://www.youtube.com/watch?v=xIThtWQe4os

RioD'oiro disse...

Oh carago. Eu parece-me sou descendente dos visigodos. Tenho que voltar para onde?

Augusto disse...

Se como tudo indica , estamos perante um crime de ódio, levado a cabo por um militar françês , expulso do exêrcito por ligações a organizações neo-nazis, talvez repense a sua analise.

Este crime segue-se ao assassinato de 3 militares de origem magrebina, e um ferido grave de origem das Antilhas.

Aqueles que em França como Sarkozy, se aproximam perigosamente das teses da extrema-direita, contra o estranjeiro, contra todos aqueles que professam as religiões muçulmana ou judaica, e os seus dogmas , abrem a porta a estes crimes.

No entanto é perfeitamente hipócrita, ver o Primeiro Ministro de Israel indignado com este barbaro assassinato, o mesmo senhor que manda o seu exercito assassinar diariamente crianças na Palestina.

E isso não pode nem deve ser escamoteado

David Levy disse...

@ Augusto

Parece-me um bocado de mais tentar colar isto ao Sarkozy...

Não simpatizo com Benjamin Netanyahu, mas é uma tremenda mentira acusá-lo de mandar assassinar crianças. Acho incrível que diga isso. Grande parte das crianças palestinianas que têm morrido no conflito, morreram porque foram usadas como escudos humanos. Adivinhe lá por quem...

RioD'oiro disse...

Caro Augusto,

Atentados levados a cabo por um caramelo saído do nada pensando que tem algo na cabeça não tem qualquer significado político. Tem significado humano mas não político. O que tem significado político são coisas como esta: http://lisboa-telaviv.blogspot.pt/2012/03/as-criancas-de-gaza.html

Anónimo disse...

"o mesmo senhor que manda o seu exercito assassinar diariamente crianças na Palestina."

Não seja débil mental, estúpido e ignorante. Quem manda matar crianças judias é o Hamas.

Lura do Grilo disse...

De facto até poderá ter sido uma célula do Hamas. O Hamas usou como prática estuprar crianças, culpá-las para depois as enviar em missões suicidas em Israel.

Não há muito tempo palestinianos infiltraram-se num colunato e mataram crianças judias que dormiam.

Também casos de envio pelo Hamas de crianças deficientes mentais para zonas de exclusão onde poderiam ser alvejadas por israelitas já foram registados.

Estes terroristas têm um desprezo total pela vida humana.

Anónimo disse...

"Os judeus vieram dos países onde viviam naturalmente porque não tinham um país seu. Israel foi feito em terra disputada na segunda grande guerra. Roubar terra? Essa é boa. E a síria? E o iraque? e a jordânia, já não são terras roubadas? Só israel é que é? (...)
Já agora, como é que o Kosovo ou a Bósnia se tornaram independentes? Não foram muçulmanos que foram para lá ocupar aquilo e depois reivindicar aquelas terras como sendo suas? A mesma táctica está os palestinianos a usar em terra alheia, pois a Palestina é dos judeus por direito. Os muçulmanos não fazem nada nos territórios que ocupam, pois tudo o que têm foi fruto da violenta conquista destruíndo civilizações e povos.
Já agora, porque é que o Rafael não diz o mesmo dos nossos antepassados, que no famoso movimento conhecido por Reconquista Cristã, mataram, despacharam e converteram os mouros que por cá andavam? Se calhar os muçulmanos têm razão em dizer que a Península Ibérica - Al Andalus - é deles? "
Via do Blogue "A matar"
EJSantos