sábado, 9 de janeiro de 2010

Israel x Gaza

Educação em Israel

Educação em Gaza

Exportações de Israel

Exportações de Gaza

Festa em Israel

Festa em Gaza

Praia em Israel

Praia em Gaza

18 comentários:

João António disse...

Significativas diferenças de conceitos de paz e democracia, seja na agricultura como na cultura. De um lado o pragmatismo do outro o ódio exacerbado ao extremo, com o ensinamento da cultura da guerra e do ódio desde a nascença !

Range-o-Dente disse...

Bem esgalhado.

provocação disse...

Grande post!!! Mas é que me cansa tanto explicar isto e as pessoas recusarem entender que realmente as imagens valem mil palavras.

Levy disse...

@ provocação,

as pessoas estão todas formatadas para entenderem ao contrário.

Malandro disse...

Pelo contrário. As pessoas estão formatadas para entender que a luta armada do Hamas é terrorismo e não resistência, que a contrução do muro da vergonha em volta das aldeias palestinianas, os colonatos ilegais e os checkpoints são protecção e não usurpação de território, que o bloqueio a Gaza e o derrube de casas palestinianas são defesa e não limpeza étnica, que as 200 bombas nucleares que Israel possui na central Dimona e 6 milhões de dólares diários fornecidos pelos EUA "em ajudas" são necessárias para a sobrevivência do país e não uma ameaça regional. Enfim!

abraço.

Levy disse...

Caro Malandro

- Classifica a luta do Hamas como resistência. Também inclui na categoria de "resistência" as acções desse grupo contra o povo palestiniano?
E a ocupação brutal que faz da Faixa de Gaza? Também é resistência?
E os membros da Fatah que foram dizimados? E todos os palestinianos que de alguma forma se opõem a esse grupo? Essas acções também são de "resistência"?

- Está a falar de que muro? Do que o Egipto construiu junto à fronteira com Gaza?

- Limpeza étnica? Numa população que cresce exponencialmente? Está a brincar não está?

- As 200 bombas não estão na central de Dimona. Ou julga que os israelitas são estúpidos? Essas ogivas têm sido preciosas como meio de prevenção contra invasões estrangeiras. Desde que sabem das bombas, que os países árabes nunca mais se atreveram a meter um soldado para dentro da fronteira de Israel. Grande homem, Shimon Peres, que bastante trabalhou para essas 200 existirem.

- Os EUA ajudam os países que bem entendem. Tal como a UE. Só que a UE como é dominada pelo "palestinianismo", prefere entregar as ajudas aos corruptos da AP e do Hamas.
Muita da ajuda americana é de cidadãos particulares, pois na América, como democracia e pais livre que é, cada um pode gastar o dinheiro onde quer. Ao contrário de Portugal, onde as pessoas que trabalham são extorquidas para pagar a quem não trabalha. Mas apesar disso, julgo que não há nenhuma lei que impeça alguém de auxiliar financeiramente o Hamas...

Abraço, e apareça sempre, porque as divergências são aqui bem vindas. :)

Lura do Grilo disse...

Cinco estrelas a praia de Israel. As alfaces também estão impecáveis. Pena a colonização da faixa de Gaza e parte do Líbano pelos Islamo-Nazis iranianos. Seriam terra de progresso e não um sumidouro de ajudas europeias aos genocidas.

Viva Israel

Malandro disse...

Caro Levy

Em primeiro lugar, parabéns pelo teu blogue, penso que virei visitar-lo mais vezes. Como deves entender discordo bastante do que aqui escreves.

vamos ponto por ponto;

O Hamas foi eleito democráticamente; quando um povo é oprimido por tanto tempo penso que é a escolha mais natural. O Hamas, não possui tanques, missieis ou bombardeiros fornecidos pelos EUA, possui rockets de fabrico caseiro o que faz um "conflito" desigual. Não penso que tenha sido uma boa escolha pelo povo de Gaza, mas tendo em conta as circustâncias?!!

Quanto ao muro do apartheid; Israel construiu um muro que faz a vida dos palestinianos impossivel. Se escutas o Henrique Cymerman, irá dizer-te que serve de protecção contra os "terroristas", o que é pura mentira e propaganda. Este muro da vergonha, bastante maior que o muro de Berlim, circula aldeias palestinianas na Cisjordânia, fazendo com que uma solução de 2 estados seja práticamente impossivel.Não é este o desejo Sionista! É simplesmente a usurpação de território palestiniano; o mesmo acontece com os colonatos ilegais.

Quanto às "ajudas" americanas de 6 milhões de dolares diários (ou mais; em armamento e dinheiro através do lóbi AIPAC que práticamente controla a Casa Branca); não são de particulares, mas sim dos contribuintes americanos, que básicamente, não sabem para onde vão os seus impostos. São directamente responsáveis pelo último "conflito" em Gaza onde 13 soldados da "IDF" foram mortos e onde mais 1400 palestinianos foram massacrados.

Quanto ao arsenal nuclear de Israel;
explica-me porque, se Israel possui mais de 200 ogivas nucleares, estas nunca foram sujeitas a inspecções pela ONU? Se fosse qualquer outro país, (Irão por exemplo) seria sujeito a pressão por parte da imprensa internacional. Explica-me o porquê de Israel acusar Mordechai Vanuno de traição e de o manter preso e em isolamento por mais de 20 anos porque denunciou perante o mundo (BBC) a existência destas mesmas armas na central de Dimona. È isto a democracia de Israel.

Tal como a África do Sul com o seu regime de apartheid, Israel irá um dia responder pelos seus crimes perante a comunidade internacional. Esta é a minha convicção. É uma questão de tempo. Depende da pressão internacional e principalmente dos bloggers, porque é óbvio; que Henriques Cymermans há muitos.

abraço Levy;
Keep on blogging!!!!!

Levy disse...

@ Malandro

Obrigado, vem quando quiseres, será bem vindo :)

Ponto por ponto:

- Só porque foi eleito democraticamente o Hamas não tem o direito que atirar misseis contra civis em Israel, e muito menos oprimir o povo que o elegeu. Não é o conflito que é desigual, a parte que consideras como fraca é que foi derrotada em sucessivas guerras. Nas guerras há vencedores e vencidos, os árabes foram derrotados, e a situação dos palestinianos deriva não só disso, mas também das escolhas e estratégias que enquanto povo fizeram. Votar no Hamas foi mais um tiro no pé.

- O muro de protecção foi construído para evitar ataques suicidas. E atingiu plenamente os seus objectivos: esses ataques que eram uma chaga do passado desapareceram. Partes do muro de protecção vão servir de fronteira entre os 2 estados. Sobre os seus efeitos na vida dos palestinianos, desculpa mais uma vez discordar, mas isso é um tremendo exagero. De início esses problemas existiram de facto, porque a segurança era muito apertada, à medida que os ataques suicidas diminuíram, muitas barreiras foram levantadas. A circulação é hoje muito mais fácil, até porque esse é um dos objectivos de Israel: promover o desenvolvimento das populações palestinianas da Judeia e da Samaria. Não é por acaso que o crescimento económico nesses locais foi de 6% no ano passado. Ao contrário de Gaza que vive neste momento sobre um regime islamo-fascista.

- as ajudas americanas de 6 milhões de dólares por dia (partindo do principio que esse número é correcto) correspondem a uma ajuda de 0,80 cêntimos de dólar por habitante, o que multiplicado por 365 dias dá 292 dólares/ano por habitante. O PIB per capita israelita é de 27548 dólares, o que significa que a ajuda americana corresponde, grosso modo, a 1% da riqueza anual de Israel. O seja, é apenas uma ajuda, Israel por si só produz os outros 99%, e conseguiria viver sem o 1% americano.

- Israel fez ao Vanunu o que qualquer país faria a um espião. Relevou segredos de estado, sabendo que há leis que condenam isso. Quem aceita um emprego num local daqueles, já sabe à partida quais são as suas obrigações e consequências do seu não cumprimento. Que eu saiba a ONU não inspecciona o arsenal nuclear de nenhum país, porque é que haveria de inspeccionar o de Israel? O Irão é um caso diferente, pelo simples motivo que faz permanentes ameaças de eliminação ao Estado de Israel, quando o contrário não se verifica.

- Essa do regime de apartheid sempre me fez rir. As pessoas que argumentam com isso, conseguem ver esse regime onde ele não existe, e repetem sucessivamente essa palavra. Não há um regime desses pelo simples motivo que estamos numa fase de transição entre uma situação de ocupação e uma situação de independência. A melhor prova que Israel não é um estado racista é o facto de 20% da sua população ser árabe. A maioria deles nem quer ouvir falar em deixar de ser israelita. Até o guarda-costas do MNE, Lieberman, é árabe. Logo o dele, que acusam de ser "racista".

Abraço

Osvaldo disse...

Malandro:

«O Hamas, não possui tanques, missieis ou bombardeiros fornecidos pelos EUA, possui rockets de fabrico caseiro o que faz um "conflito" desigual.»

Então o "Malandro" é da opinião que o combate à pirataria na costa Africana deve de ser combatido com, lanchas iguais às dos piratas... porque está claro, é desigual.

O "Malandro" confunde a justiça escolar que lhe incutiram na escola com o direito internacional.

Até ver Israel não usou nenhuma bomba atómica (e não tem nada assinado), e está em pleno direito de usar o que bem entender para proteger os seus civis.. essa ideia de "desigualdade" não colhe.

Anónimo disse...

Malandro, deixe de fazer jus ao teu nome! 200 ogivas nucleares é? Agora nos diga só uma coisa: voce se sente mais tranquilo com estas 200 bombas nas mãos isrealenses ou com uma única em mãos iranianas? Lembre-se da política de estado deste mesmo Irão antes de responder.
Um abraço.

Levy disse...

@ Malandro

Sobre a sua ideia de apartheid, se tiver paciência para ver até ao fim o vídeo que esta na posta "Tel Aviv 100" um pouco acima desta, perceberá que isso é uma ideia sem pés nem cabeça. Simples vídeo o demonstra.

Range-o-Dente disse...

Linquei este artigo acrescentando uma 'boca' e foi o pandemónio. Soltaram-se os diabos.

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2010/01/porque-o-ocidente-e-superior.html

.

Levy disse...

@ RoD

Tenho estado a acompanhar a discussão entre vocês e os diabos. Aqui também chegaram umas réplicas. Já se sabe, fala-se na Faixa de Gaza e eles começam todos a salivar, e depois se se escrever alguma coisa que vá contra o politicamente correcto só não espancam as pessoas porque não podem...

Anónimo disse...

Quanto ao Vanunu o problema dele foi pensar com a parte errada do corpo. A agente da Mossad aproveitou. O amor às vezes é traiçoeiro.

Viva a Mossad...Viva Israel...

Lura do Grilo disse...

Caro Levi

Falta dizer uma coisa. A Ajuda internacional ao "Povo Palestiniano" é bem maior que a ajuda a Israel.

Aliás grande parte da riqueza americana deve-se a cientistas judeus que inovaram nos EUA e serviram para criar uma potência Industrial. Bem vistas as coisas Israel até recebe bem pouco se olharmos ao que deu.

Viva Israel. Referencial de Justiça, Paz e Desenvolvimento.

Malandro disse...

amigo Levy;

Israel Should be Tried for War Crimes
http://www.kawther.info/wpr/2010/01/16/israel-should-be-tried-for-war-crimes

EU delegation urges trial of Israeli war criminals
http://www.presstv.ir/detail.aspx?id=116234&sectionid=351020202

É uma questão de tempo;
abraço.

Levy disse...

@ Malandro

Eu diria antes que é uma perda de tempo. Já tentaram com o relatório Goldstone, e viu-se no que deu: ficou completamente descredibilizado, porque a ânsia, de condenar Israel e ilibar o Hamas, era tanta que ninguém o levou a sério.
A mim a única coisa que me faz confusão é a rapidez com que algumas pessoas se mobilizam contra os "crimes de guerra de Israel", mas não mexem uma palha contra outros crimes, guerras, ditadores. Só para lhe dar um exemplo, no ano passado 20000 Tamil foram assassinados no Sri Lanka, sem que nenhum "pacifista pró-palestiniano" se indignasse.
Outra coisa que não percebo é como é possível que a maioria das pessoas que bradam contra Israel, sejam provenientes da "Esquerda folclórica", futuramente conhecida como "Esquerda-Alegre", e que não lhes faça confusão nenhuma alinhar com movimentos religiosos fundamentalistas como o Hamas e o Hezbolah. O anti-semitismo tem muitas máscaras.

Abraço