quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O chico-espertismo é por definição eterno

Bastou uma simples frase do pantomineiro da fotografia, para que o asco que muita gente sente por ele viesse mais uma vez ao de cima. E não é para menos: há 1 ano, com Portugal quase à beira da falência, Sócrates deixava-se fotografar com o ar mais descarado do mundo junto de uma árvore de Natal. Agora, depois de ter estoirado o país, de ter sido varrido do governo e de se ter exilado no conforto de Paris, Sócrates vem mais uma vez gozar com o portugueses declarando que as dívidas que ele contraiu não são para pagar. Pagar dívidas, pelos vistos, é uma coisa para patos e não para chicos-espertos como ele.
Alguém devia estudar o motivo pelo qual 2 milhões de portugueses votaram duas vezes neste caloteiro.

3 comentários:

Anónimo disse...

O pior é que deixou discípulos como o deputado Galamba, que até quer dar lições ao governador do Banco de Portugal! O grupo parlamentar do PS está cheio destes discípulos que acham que a governação do "Grande Líder" foi uma grande época para Portugal!
F.G.

Niagara disse...

É fácil: a explicação é simples. A diarreia não é uma condição exclusiva do trato intestinal, em período eleitoral pode contagiar (e contagia efectivamente) o metabolismo cerebral.

André Miguel disse...

Porque votaram duas vezes no inenarrável? Dois milhões de portugueses que acreditavam que o dinheiro nascia nas árvores. Até que chegou a factura.