domingo, 18 de dezembro de 2011

Professores de todo o Portugal, emigrem!

Pela primeira vez Portugal tem um primeiro-ministro que não alinha pelo politicamente correcto. As declarações que proferiu hoje - que a emigração é uma alternativa para os professores que não conseguem colocação em Portugal - têm toda a lógica e não são de forma nenhuma ofensivas.
Mal seria se, perante a situação de desemprego generalizado entre os jovens professores, o primeiro-ministro aparecesse a prometer lugares de quadro que não existem ou a incentivar os jovens a estudar para serem professores, quando na realidade se trata de uma profissão completamente desprestigiada e sem futuro nenhum.
Tem sido este o hábito em Portugal: o chefe do governo aparecer todos os dias na televisão a anunciar futuros cor-de-rosa. Como desta fez não foi assim, imediatamente começou a gritaria: os líderes da Fenprof e do PS vieram imediatamente a terreno criticar Passos Coelho. Mário Nogueira ainda se compreende, visto que vive do agitprop, agora António José Seguro devia evitar falar sobre educação durante 10 anos, era o mínimo que se lhe exigia depois do que o seu partido fez aos professores.

10 comentários:

António Penetra disse...

Acho que que o que disse é politicamente incorreto.
Mas temos de nos decidir. Queremos que nos mintam ou queremos frontalidade.
A verdade pura e dura nem sempre é simpática.

David Levy disse...

Precisamente o que eu penso.

Dylan disse...

eheheh Levy. Olha se fosse o Sócrates a dizer isso. Dizias o mesmo, não?...

David Levy disse...

Se fosse o Sócrates a dizer isso, seria a única coisa acertada que teria dito e também a única com a qual eu concordaria. O problema é que Sócrates nunca dia uma coisa dessas, porque durante 6 anos mentiu sistematicamente e andou a vender ilusões. Alias, a educação socialista era propagandeada como a mais avançada do mundo.

Já de Passos Coelho não se pode dizer que ando sempre a defender e a concordar com ele.

Anónimo disse...

E então e aquelas grandes manifestações contra o Sócrates e a Lulú, por causa de meia dúzia de tretas relacionadas com a avaliação?

É mais facil apanhar mentirosos e relapsos do que coxos!

Preparai-vos para a matança!

Ató Nito disse...

O primeiro diz emigrem; Os ingleses falam em ponte aérea para resgatar os británicos... Acho que estams cada vez mais próximos do norte de África e ainda há quem rejubile!

Anónimo disse...

Desde que tomou posse este governo neo-comunista radical, os professores estão a passar um mau bocado.

Mas o pior ainda está para vir.

Vão ser reduzidas a metade as reformas dos professores, incluindo daqueles que já estão reformados.

manuel rodas disse...

Estranho País onde o 1º ministro e secretário de estado mandam os Professores e jovens emigrar. O dever dum 1º Ministro é dizer que está a fazer tudo o que é humanamente e politicamente possível para que os portugueses gostem da sua terra, de a desenvolverem e investirem os seus esforços e a sua vida aqui.
E se os portugueses dissessem ao 1º ministro e restante comitiva que devia emigrar e não voltar nos próximos 25 anos?

Anónimo disse...

Pois, pois... mas foi o governo português que abriu vagas para eu e muitos outros milhares tirarmos o curso, foi a ele que paguei as minhas propinas e tenho pago os meus impostos ao longo de 10 anos de serviço... se fosse no provado, há muito que já me teriam que ter posto efetiva, mas o estado é o 1º a não dar exemplos... é bonito isto, agora emigra se quiseres.

Dylan disse...

Levy,

Desculpa lá, mas se algum ministro pensa nisso não o deve dizer. Achas que as pessoas não sabem que este país não é futuro para ninguém? Claro que sabem, o problema é que um governo que diga isso dá uma imagem de descredibilização total, de que qualquer néscio pode chegar ao poder pois para governar basta dizer "emigrem", basta aumentar impostos. Por outro lado demonstra à saciedade que este governo está orfão de ideias governativas.

O mais incrível é que, face a uma medida que também te atinge, preferes elogiar este pseudo PM em vez de o apontares a dedo como fazem os seus colegas e, de facto, isso é comovente...