sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Se até o Yasser Arafat o recebeu...

...por que é que Barack Obama não deveria receber? Arafat foi laureado com Prémio Nobel da Paz sem nunca ter despido a farda militar. Obama vai "nobelizado" porque alegadamente é uma pessoa bem intencionada. Se o ridículo matasse...

9 comentários:

Range-o-Dente disse...

Devia ser instituído o Nobel da palermice. Os gajos do comité levavam, por mim, o primeiro.

João António disse...

Exactamente !

Cirrus disse...

Sinceramente, tenho medo, muito medo, dessa reacção...

Levy disse...

Nem mais. Com isto só estão a descredibilizar o Prémio Nobel.

Maldonado disse...

@Cirrus:
Tu és genial no jogo semântico... ou então eu é que fiz uma interpretação extensiva... :)

Cirrus disse...

Maldonado, quis dizer o que quis dizer, e tu percebeste bem, como é habitual, aliás!

Mete-me medo este tipo de reacções, mete mesmo!

Levy disse...

Cirrus

Está como medo de quê? Confesso que estou a apanhar bonés...

Dylan disse...

O Nobel da Paz tem características diferentes dos restantes prémios atribuídos pela Academia Sueca. Desde logo, é atribuído em Oslo por um comité independente norueguês, laureando alguém ou alguma entidade que se distingue pela capacidade de resolver diplomaticamente diversos problemas, independentemente de ficarem concluídos ou não. Foi assim com Jimmy Carter, é agora assim com Barack Obama. Porque privilegia o diálogo e o bom senso entre os povos, porque ele próprio é o resultado da esperança e do sonho: ter sido o primeiro presidente afro-americano da história dos EUA. Um exemplo do idealismo norte-americano, ainda hoje cobiçado, abraçando causas como os Direitos Humanos e trabalhando internamente para um plano de reforma do sistema de saúde. Com Obama, voltaram as preocupações com o meio ambiente, com o desarmamento nuclear, com a desmobilização do Iraque e com a possibilidade do fim do embargo a Cuba. Apressou-se a condenar o golpe de Estado nas Honduras e a normalizar as relações institucionais com a Rússia, não esquecendo a tentativa de cativar o mundo árabe ao admitir a criação do Estado da Palestina , fundamental para a paz no Médio Oriente.

Negar isto, em menos de nove meses, é cair no discurso dos conservadores norte-americanos e de parte da esquerda europeia, recheada de tiques estalinistas.

Levy disse...

@ Dylan

- Independente é que o comité não é. É composto maioritariamente por membros do Partido Trabalhista Norueguês e outros ainda mais à esquerda.
- Gente que privilegia o diálogo e o bom senso entre os povos é o que não falta por ai.


"capacidade de resolver diplomaticamente diversos problemas, independentemente de ficarem concluídos ou não"

Ou resolve ou não resolve. Porque se se dá prémios a quem não resolve, a lista de laureados passa a ser exponencial. Julgava que o prémio se atribuía a quem efectivamente resolvia as coisas.

"ter sido o primeiro presidente afro-americano da história dos EUA"

Em que é que isto o habilita para ser um Nobel? Não sabia que a atribuição era decidida por critérios racistas...

"trabalhando internamente para um plano de reforma do sistema de saúde"

A reforma do sistema de saúde americano não é um acto de guerra ou paz.

"voltaram as preocupações com o meio ambiente, com o desarmamento nuclear, com a desmobilização do Iraque e com a possibilidade do fim do embargo a Cuba"

Preocupações, desmobilização, possibilidade. Bonitas palavras.

"Apressou-se a condenar o golpe de Estado nas Honduras e a normalizar as relações institucionais com a Rússia, não esquecendo a tentativa de cativar o mundo árabe ao admitir a criação do Estado da Palestina , fundamental para a paz no Médio Oriente."

Ele e mais trezentos líderes mundiais.

Dylan, eu penso pela minha cabeça, e pouco me importa se penso da mesma maneira dos conservadores americanos ou da esquerda europeia. Escusa de me colar esses rótulos que isso não causa a mínima impressão.