domingo, 29 de novembro de 2009

Milhares contra os Haredim

Milhares de habitantes de Jerusalém, entre seculares e religiosos, protestaram ontem à noite contra a violência e a coerção dos ultra-ortodoxos. A manifestação decorreu entre a Praça Paris e a Praça Zion, no centro da cidade, e teve como lema: "O Irão é aqui, estamos cansados da violência Haredi!"
Entre os manifestantes esteve o deputado do Partido Meretz, Nitzan Horowitz, que acusou os Haredim de utilizarem pretextos como os parques de estacionamento, a Intel, e a Pride Parade, para imporem a sua vontade pela força, coerção e violência. Outro manifestante, Yehonatan Alazar, um religioso da cidade, referiu que os Haredim não estão preocupados com o shabat, mas apenas em fortalecer o seu poder em Jerusalém. Muitos cartazes denunciavam o facto de a comunidade Haredi não servir no exercito, não pagar impostos, mas extorquir constantemente dinheiro ao orçamento de estado, principalmente para financiar as suas escolas religiosas.

3 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Obriguem os Trancinhas a cumprir o dever para com o estado de Israel, integrando-os (à força se necessário) no serviço militar obrigatório.
Vai ver que o seu número se reduz drásticamente.

Levy disse...

@ Luís Bonifácio

Sim, sim, acabavam-se logo as exigências... mas parece que em Israel há muita gente que teme os radicais, vamos ver até quando.

Maria Ribeiro disse...

TEMÊ-los e não agir ,é acentuar-lhes o poder que eles querem ter!Estaria lindo o mundo com o contributo desses trancinhas e do Achmadinejad...É uma coisa que não compreendo, Levy; o poder que esses fanáticos têm, na história de Israel.
BEIJO DE LUSIBERO