segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Triple Alliance



Milhares de pessoas manifestaram-se hoje em Buenos Aires contra a visita do Presidente Shimon Peres à Argentina. Alguns manifestantes empunharam cartazes onde se podia ler "Morte a Israel sionista-fascista, oficial do imperialismo americano no Médio Oriente, assassino do povo palestino!", outros levavam panfletos com crianças mortas e frases que apelidavam o presidente israelita de assassino.
Os manifs eram constituídos por vários grupos distintos, uns eram abertamente "pró-muçulmanos", outros intitulavam-se de "defensores dos direitos humanos" e outros de "convergência de esquerda". Do lado dos "pró-muçulmanos", para além vários cartazes glorificando o líder do Hezbolah, Hassan Nasrallah, e o líder supremo do Irão, Ayatollah Ali Khamenei, houve ameaças físicas a jornalistas suspeitos de serem israelitas.
Um excelente exemplo da moderna aliança entre "defensores dos direitos humanos", esquerda folclórica e islamo-fascistas. Os extremos costumavam tocar-se, mas neste caso, estão misturados e em convergência absoluta.

6 comentários:

João António disse...

As multidões são touros sem cabeça, e este é mais um exemplo da intoxicação politica sobre o médio oriente !

Anónimo disse...

João António, bem observado.
ejsantos

Anónimo disse...

Bom-dia
Convido-o a ler a morte trágica do soldado Gil, um judeu beirão falecido em Moçambique e relatada sob o título:"O Diabo à Solta nas Margens do Nango"
em:
http://caminhosdamemoria.wordpress.com/
Joaquim Moreira

Levy disse...

@ Joaquim Moreira

Obrigado pela sugestão, li, e fiquei impressionado.

Duarte disse...

« (...)esquerda folclórica (...)» Lol

Eu não diria melhor.

Anónimo disse...

"islamo-fascistas", "esquerda folclórica", "defençores dos direitos humanos" Bom, direitos humanos é uma coisa da qual israel não entende muito bem mesmo, visto que há 60 anos viola-os diariamente matando civis,crianças e idosos em seus ataques "contra terroristas". Os Islamo-fascistas são os chamados "radicais" e "terroristas", que são tão terroristas quanto os etiopes que atacavam os italianos em 36 ou os franceses que atacavam os alemães na segunda guerra mundial,e por final tenho mais uma sugestão de termo,já que você gosta tanto deles, esse é para definir os donos dos comentários anteriores "Salazar-cionistas", dúvido que publiquem meu comentário.