sábado, 5 de março de 2011

Medidas fofinhas

O Bloco de Esquerda, no seguimento das suas habituais ideias demagógicas, vem agora propor duas medidas que juntam o melhor de dois mundos: os juros da divida não contarem para o défice e haver um preço máximo para a gasolina
Não incluir os juros da dívida no calculo do défice seria o expoente máximo da contabilidade criativa,  significaria na prática um apagão na despesa, e abriria a porta a todas as excepções e mais algumas. Sempre que desse jeito não se contava com uma despesa e o défice melhorava automaticamente.  Fácil, fácil, nem se percebe como é que ainda ninguém se lembrou disto.
Já fixar um preço máximo para a gasolina era deveras agradável. A medida até poderia ser estendida aos países árabes produtores de petróleo, que assim ficariam obrigados a vendê-lo de acordo com a tabela de preços do Bloco de Esquerda.

4 comentários:

Ramiro Marques disse...

Não existe partido mais irresponsável do que o BE.

RioD'oiro disse...

"os juros da divida não contarem para o défice"

E, já agora, obrigar os "especuladores" e Merkel a aceitarem a luminosa ideia.

3virgula14 disse...

E assim se "faz" política em Portugal.

Anónimo disse...

Quando penso que o louçã é professor de economês no ISEG, percebo uma das origens da fraca qualidade de muitos dos nossos economistas.