domingo, 13 de junho de 2010

Do abjecto

O blogue 5dias conseguiu ultrapassar o sr. Adão Cruz do blogue Aventar. Ambos têm andado numa competição desenfreada, para ver qual consegue ser mais anti-semita anti-israelita. Se há dias havia um ligeiro empate, hoje, há que reconhecer, o 5dias leva a dianteira. Os autores deste blogue,  acérrimos defensores de Estaline, andam profundamente empenhados numa campanha de ódio contra o Estado de Israel. De tudo se têm servido, desde a utilização de imagens abjectas, até insultos a quem ousa criticá-los. Tem valido tudo.
Felizmente que exemplos destes têm a vantagem de mostrar aos distraídos o que pretendem realmente os palestinianistas de serviço. Há aspectos na verborreia do sr. Carlos Vidal  e do sr. Renato Teixeira que até são de agradecer, pois pelo menos têm a coragem de dizer ao que andam. Ao contrário de outros que se escondem atrás do politicamente correcto.

11 comentários:

LGF Lizard disse...

A extrema-esquerda é tão anti-semita como a extrema-direita. Só os desatentos é que ainda não se aperceberam de tal fenómeno.
É giro ver que defendem uma "Palestina única, com iguais direitos para judeus e para palestinianos), mas depois dão o seu apoio ao Hamas...
Agora Israel precisa de se encontrar e de conseguir uma solução aceitável, com ajuda internacional, para o conflito. A ficção que Israel é como a África do Sul do apartheid está a ganhar terreno. E isso pode ter consequências gravíssimas para Israel.

David Levy disse...

@ LGF Lizard

Sim, este conflito tem feito as delicias da extrema-esquerda orfã de causas.

Erário disse...

Noam Chomsky, apesar de judeu, é anti-semita por discordar da política do Estado Judeu de Israel?

David Levy disse...

@ Erário

Não confunda os que discordam das políticas do Estado de Israel com os que querem varrer Israel do mapa e empurrar os Judeus para o mar. Os que eu considero anti-semitas são estes últimos e não os primeiros.

Sobre isso, já escrevi isto:

http://lisboa-telaviv.blogspot.com/2010/03/anti-semitismo-como-usar.html

Erário disse...

Quer-me parecer que não conhece a posição do 5 dias na matéria.

David Levy disse...

@ Erário

O 5dias têm-se esforçado bastante para dar a conhecer a sua posição sobre a matéria.
O meu profundo repúdio por essas posições, e o lamento por não terem um discurso que promova a paz. É do mais belicista que tenho lido. Imagine que alguém escrevia da Palestina o que vocês escrevem de Israel...

provocação disse...

Neste momento é socialmente aceite e obrigatório o seguinte:

*Gostar e perceber de vinhos e sushi.
*Apoiar a palestina.
*Chamar Leonor às filhas e Francisco aos filhos.
*Ter uma opinião acerca de Israel mesmo que não se perceba um rato.
*Ter um pensamento de igualdade social mas cuspir em quem recebe o rendimento mínimo.
*Achar que é uma chatice quando chove.
*Gostar de Muse.
*ah e esquecia-me gostar de Nova Iorque.

Pronto, é uma espécie de moda tal como nos anos 90 se odiava a Indonésia e o made in Taiwan ou se achava que Paris era maravilhoso e que pizzas era um excelente jantar. É de modas. Está na moda apoiar a Palestina mas eu gostava de ver as reacções se os tivessem na vizinhança, ah gostava tanto!

Daniel Santos disse...

já nem considero aquilo radicalismo, chamaria aquilo, cegueira.

Ricciardi disse...

Cegueira é muito pouco, caro Daniel...

RB

David Levy disse...

@ Provocação

O pior é que esta moda está a tornar-se obrigatória.

Dylan disse...

Provocação,

Não podemos generalizar com o risco de sermos iguais aos "socialmente obrigatórios". Nesta "guerra" blogosferica também existem os moderados, felizmente, nos dois lados da barricada. Não percebo nada de vinhos nem de sushi mas gosto de Muse e Zeca Afonso... Também adoro cidades como São Petersburgo, Florença, Nova Iorque, Barcelona e Paris. Não gosto do nome Francisco nem pertenço a nenhum quadrante político.