terça-feira, 8 de junho de 2010

Lei para a protecção do Sangue e da Honra Egípcios & nem os gays escapam

Enquanto no Egipto o Supremo Tribunal confirmou a decisão do Ministério do Interior de retirar a cidadania aos egípcios casados com mulheres israelitas, aqui ao lado em Espanha, os organizadores da parada gay de Madrid acabam de banir os homossexuais israelitas do desfile.

26 comentários:

R disse...

Infelizmente, a verdade é que as marchas e organizações LGBT são um ninho de esquerdistas anti-israel.

Tenho a lamentar que, o facto de só a esquerda apoiar os LGBT, faz com que muitos acabem por se identificar com a ideologia, e ao envolverem-se mais com a política acabem por absorver o pacote ideológico por completo e os preconceitos também... =(

Dylan disse...

Estou ansioso por eventuais protestos e manifestações dos "humanistas amantes da liberdade"...

Anónimo disse...

O delírio anti-semita já chegou aos gays!
Está visto que o anti-semitismo é uma doença e altamente contagiosa!
F.G.

X.P.T.O. disse...

100% de apoio!

É preciso denunciar estas e outras formas de descriminação. E nos países islâmicos são comuns estes tipos de descriminações. Há que apontar o dedo ás autoridades religiosas que muitas vezes incentivam e sancionam estas atitudes.

Anónimo disse...

e não foram substituídos por nenhuma delegação vinda de Gaza... do Hamas???

Anónimo disse...

E que tal, a malta do desfile de Madrid, lembrar-se dos direitos dos gays no Irão e noutros países islâmicos?
F.G.

Daniel Santos disse...

o preconceito aparece de onde menos se espera, mesmo deste que sempre foram discriminados.

Lura do Grilo disse...

Ontem um conferencista Judeu inscrito num encontro cientifico sobre energias renováveis foi quase linchado por 200 bandidos inscritos como estudantes da Universidade Autónoma de Madrid.

David Levy disse...

@ Lura

Que horror! :(

David Levy disse...

@ R

Essa é uma das muitas contradições. Os esquerdistas são ateus ou anti-religião, mas não têm pudor nenhum em andar de braço dado com o Hamas....

David Levy disse...

@ F.G.

E dos da Faixa de Gaza, quem fogem para Israel. Israel trata melhor os gays palestinianos, do que os "LGTB/Bloco de Esquerda" tratam os gays de Israel...

David Levy disse...

@ Daniel Santos
é uma tremenda contradição. Os organizadores do desfile ainda tiveram a lata de se justificar com o facto da associação gay de Tel Aviv não ter condenado o incidente da flotilha turca...

David Levy disse...

@ X.P.T.O.

Estas organizações, auto-intituladas defensoras dos LGTB, podiam fazer umas manifs em defesa do gays na Turquia, Irão, Gaza, etc

Ou em alternativa, podiam distribuir uns preservativos à porta da mesquita de Lisboa, como fizeram com o Papa...

R disse...

David, embora seja mau, acho que é mais ignorância do que outra coisa...

Eu também sou de esquerda e também sou ateu, mas felizmente estou informado razoavelmente sobre o conflito israelo-palestiniano.

A maioria da malta de esquerda é toda pela paz e sermos todos iguais, e o que passa nos media é só problemas em Gaza e na Cisjordânia, sempre ligados a Israel, e nunca nada mau do lado de Israel nem nada a explicar o porquê das decisões israelitas.

Então gera-se aquela ideia de que existe um fosso de poder enorme em que os palestinianos estão à mercê dos israelitas, e que Israel tem um "dedo fácil" para o gatilho, sendo a proporção de civis palestinianos mortos muito maior do que a de israelitas. Como se acredita que somos todos iguais, e todos querem a paz, e o terrorismo é um resultado da opressão e quem tem o poder é Israel, então é Israel que se ataca e pressiona. E se as coisas não mudam a culpa é de Israel.

E, como há sempre aquela falta de diálogo, as ideias nunca se mudam.

A minha cabeça mudou quando estava a criticar Israel no youtube e um rapaz israelita da minha idade me respondia com coisas que me fizeram perceber que estava totalmente desinformado. Mandei-lhe uma mensagem a dizer que estava disposto a mudar minha opinião sobre Israel, se ele me conseguisse convencer. Ao que ele me mandou mensagens a contar a História do conflito e de Israel e convenceu-me.

Mas como eu, não há muita gente disposta assim a ouvir nem interessada em procurar ou em participar em discussões do tipo. A maior parte gosta de se sentir envolvida e mete-se nalguma organização e come a propaganda. Comentam as coisas dentro daquele círculo e, claro, dessa forma as opiniões nunca mudam.

Ainda agora uma amiga minha do PCP começou a falar com um rapaz de Tel Aviv, conheceram-se no chatroulette. Quando eu falava com o Avi e lhe dizia o que ele me dizia sobre Israel, ela dizia que me tinham feito uma lavagem cerebral. Agora já está muito mais moderada.

Acho que o que falta sempre é educação e comunicação... O conflito israelo-palestiniano é considerado um "bicho" tão grande e estranho que ninguém se dá ao trabalho de discutir ou de se informar sobre ele... Ninguém quer educar ninguém sobre isso... Preferem abster-se ou mandar uns bitaites, bitaites esses que se limitam ao que se vê na TV ou ouve na rádio...

Enfim, é isto que tenho a dizer.
Felizmente ainda vai havendo gente de esquerda mais moderada e informada. Ainda há pouco tempo tive o prazer de estar a conversar com o Presidente dos Sexólogos do México, que é gay e judeu, e esteve a estudar em Tel Aviv, e foi em Israel que procurou o seu primeiro grupo de apoio LGBT. Por isso vá, vejam lá, também não comecem já a linhar os gays, há aí muitos com cabecinha e também merecem respeito! ;)

R disse...

Já agora, David, aproveito para contar uma coisa:

Vi no facebook que a SOS Racismo ia participar numa manifestação relativa ao bloqueio a Gaza, e um vídeo que puseram no facebook (não se viu, eu achei muito grave) sob o título "Intolerância, racismo e anti-semitismo" e mostrava uma entrevista a alguns judeus extremistas numa manifestação pro-Israel em Nova Iorque. Por isso enviei-lhes um e-mail a falar sobre o aumento do anti-semitismo e anti-israelismo, a perguntar o que têm feito ou que pretendem fazer a oferecer-me como voluntário para ajudar nessa área. Estou curioso com a resposta porque, infelizmente, tenho visto a SOS Racismo na mesma linha das associações satélites do BE, e parece-me que é anti-israelita. Aquele vídeo que postaram mostrando uma série de extremistas judeus chocou-me especialmente, vindo de uma associação supostamente contra o racismo. Acho mesmo muito grave. Caso se note que existe esse preconceito pode fazer-se algum tipo de denúncia? É que, segundo sei, a SOS Racismo tem estatuto de utilidade pública e, não me parece que possa ter estatuto como associação contra o racismo se é racista...

David Levy disse...

@ R

Não me referia aos ateus no geral, mas sim aos "esquerditas". Não confundir com esquerda. Mas que é uma contradição é...

Nao acredito assim tanto na ignorância e na desinformação de certa gente. Muitos sabem o que estão a fazer.

;)

R disse...

lol eu pensava que ser de esquerda era equivalente a ser "esquerdista" =p eu costumo chamar-lhes gente da Esquerda Preconceituosa e Desinformada :)

Mas não é contradição. São ateus e esperam que todas as religiões sejam respeitadas, até porque eles/nós fazem(os) parte de religiões minoritárias. E aqui tanto é minoritário o ateísmo como o islamismo, assim como o islamismo é minoritário em Israel.

Acho que não andam de mãos dadas com o Hamas pela religião, mas sim por o Hamas ser visto como movimento de resistência. E o Hamas é desculpado porque, como oprimido, tem direito a revoltar-se e a fazer atentados no lado do opressor (os no seu próprio lado faz de conta que não existem, ninguém vê, ninguém sabe).

David Levy disse...

@ R

Com o devido respeito, vá esperando sentado... :)

R disse...

Mas eu já estou à espera sentado! LOL Eu também não estou a ver que resposta possa vir de lá...

Em todo o caso, sabe alguma coisa sobre possibilidade de denúncia por causa do racismo, dos objectivos anti-racistas e do estatuto de utilidade pública?

Malandro disse...

O regime de Apartheid de Israel está a terminar. A pressao internacional é enorme. Os próximos passos serao o de proibir Israel de participar em eventos internacionais, boicote total dos seu produtos e confinar o país ao isolamento internacional. É assim que se deve reagir a um estado pária da comunidade internacional. Israel nao respeita nenhuma resoluçao da ONU, mantem uma ocupaçao ilegal e brutal na Cisjordânia e em Gaza e é responsável pelo genocídio de todo um povo.

Assim aconteceu na África do Sul.
Assim aconteceu em Timor Leste.

Nota: Essa do anti-semitismo já nao pega!!!

abraço Levy.

David Levy disse...

@ Malandro

Você acredita nessas coisas que vem aqui escrever?
Isso é pior que uma cassete...

Anónimo disse...

Afinal os barcos da Paz, da Harmonia e da ajuda humanitária vinham bem fornecidos de armas para os carcereiros nazis, genocidas e militaristas do Hamas.

Aqui: http://www.flix.co.il/tapuz/showVideo.asp?m=3423928

lusibero disse...

MUITOS DESSES"blocos de pedras" têm a plena consciência dos actos que praticam Os bem intencionados sofrem ,enquanto os outros riem,,, aBRAÇO DE LUSIBERO

David Levy disse...

Abraço Lusibero :)

RioD'oiro disse...

Gamei este e o anterior ... :)

Abraço ...

provocação disse...

Não fazia ideia desta situação, e o mal é que a maior parte dos idiotas são contra Israel porque sim, não fazem puto de ideia do que se passa e duvido se serão capazes de encontrar Israel num mapa, mas adiante, é lamentável que países que condenam os gays à morte estejam a ser tão defendidos pelos mesmos, isto para mim é a mesma coisa que um pato defender o caçador, não me faz sentido nenhum. Preopcupem-se com os gays espezinhados em todo o mundo muçulmano. Isto dá-me azia.
Às vezes acho que se os judeus começasse a fazer-se explodir mundo fora ou a matar quem os contraria que a comunidade internacional reagiria como reage com os muçulmanos, com medo e a baixar os olhos e a fingirem que não vêem o que lá se passa.