sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

A Irmandade

Um dirigente da  Irmandade Muçulmana declarou na quarta-feira, numa entrevista a um canal de televisão japonês, que anulará o tratado de paz com Israel, assim que chegar ao poder no Egipto. Por sua vez, um colega seu  disse a um jornal de língua árabe que os egípcios se devem preparar para uma guerra contra Israel.
Declarações que estão em linha com o longo histórico de discursos peçonhentos que têm sido proferidos pelos clérigos desta organização. Um deles, o Sheikh Yusuf al-Qaradawi, lançou há 2 anos um apelo  para que Israel e os Judeus fossem tratados pelo Todo-Poderoso, que deveria matá-los até ao último. Falando no canal de televisão Al Jazeera, Qaradawi declarou ainda que: "Eu vou disparar contra os inimigos de Alá, os Judeus, e quando eles me matarem selarei a minha vida com o martírio". Dois dias depois fez um outro discurso, também difundido pela Al Jazeera, onde afirmou que Adolf Hitler tinha sido enviado por Alá para punir os Judeus.
Se por uma eventualidade estes belicosos chegarem ao poder e cumprirem com o prometido, o IDF terá de actuar em conformidade. Por essa altura, a extrema-esquerda europeia palestinianista entrará num novo período de histerismo e verá revalidadas as razões da sua existência. Por agora limitam-se a umas suaves passeatas -  não contra a Irmandade Muçulmana, que não lhes causa repulsa - mas apenas para relembrarem de que lado estão.

21 comentários:

Cirrus disse...

Esse é o grande perigo. E parece que começam a ser vistos como realmente capazes de chegar ao poder.

Anónimo disse...

canal da televisão do irão na tv.cabo,sabe??? presstv veja como eles vão minando, apessoas não estão atentas ,e depois é oque se sabe. cotovia

David Levy disse...

@ Cirrus

Tem razão, tinha algum mau gosto, apesar de ser apenas uma piada. Fiquei na dúvida se punha ou não, e o seu comentário incentivou-me a retirar. Não costumo retirar coisas só porque os leitores não gostam, mas abro aqui uma excepção, até por deferência para consigo.

Como a posta foi apagada, o seu comentário também não aparece.

David Levy disse...

@ Cotovia,

eles sabem-na toda.

Anónimo disse...

Na primeira crescentada(guerra espiritual baseada no símbolo do crescente), da história os muçulmanos foram total e completamente derrotados.

Não sabiam que esse símbolo era o que mais insultava maomé.

É vê-los a deixarem de o usar o mais rapidamente possível.

E isso notou-se e nota-se nas recentes manifestações.

Já pouco ou nada aparece.
Os muçulmanos ficaram entalados.
Se o usam, continuam a insultar maomé.

Se não, confirmam e provam que andavam enganados.
Os que já sabem, nem piam, tamanho era o engano e escândalo.

Anónimo disse...

Há um sério risco de os democratas egípcios "aquecerem o forno" e de os irmãos muçulmanos "deitarem o pão"!
F.G.

fiat lux disse...

Felizmente que existe este cantinho onde os líderes mundiais e o resto do pessoal que lida com a situação podem vir procurar aconselhamento!
Bem hajam só por existirem!

Joaquim Simões disse...

http://aperoladanet.blogspot.com/2011/02/do-ridiculo-assassino.html

Anónimo disse...

Os judeus trabalham por todo o mundo em rede ou em «irmandade» e ninguém fica escandalizado.

Esta gente está cada vez mais fanática!

David Levy disse...

Não há um Judeu a apelar que se rasgue o tratado de paz entre Israel e o Egipto. Você pode espernear à vontade que há uma coisa que nunca mudará: os fanáticos são os da Irmandade Muçulmana e quem os apoia.

EJSantos disse...

A porcaria é mesmo isso. Gosto muito de liberdade e democracia, e considero que todo o ser humano deve ter esse´s direitos.
Mas estas convulsões no norte de Africa preocupam me. Em vez de democracias é muito mais provavel termos que levar con«m novas versões do Irão. Só que mesmo aqui à porta de casa...
E os monstros não escondem aquilo que são.

EJSantos disse...

A porcaria é mesmo isso. Gosto muito de liberdade e democracia, e considero que todo o ser humano deve ter esse´s direitos.
Mas estas convulsões no norte de Africa preocupam me. Em vez de democracias é muito mais provavel termos que levar con«m novas versões do Irão. Só que mesmo aqui à porta de casa...
E os monstros não escondem aquilo que são.

fiat lux disse...

Ora obrigado! Claro que não há um israelita a querer rasgar o tratado! Alguém quer renegociar voluntariamente o que lhe é favorável e permitiu palmar mais território?

Sim, parece que é comum aos dois povos semitas trabalharem em rede mundial. E já que são primos, podiam unir as redes e os que ficam de fora (o resto do mundo) que se lixem.

fiat lux disse...

Ora aí está gente desempoeirada! Se a democracia alheia vier incomodar-me, voto na continuação do autoritarismo. Foi assim que aturámos 50 anos de ditadura, com o medinho que os outros tinham do comunismo. Mas quem se lixou com os medos alheios fomos nós.

David Levy disse...

Palmar mais território??? Israel devolveu o Sinai ao Egipto, se isto é palmar território...

Julgo que não há ninguém que esteja contra a democracia no Egipto. O problema é que a seguir à democracia vem a Irmandade, que é tudo menos democrática. Como se pode ver pelos exemplos do Líbano, onde o Partido de Deus é um exercito dentro do Estado, e na Faixa de Gaza, onde os Hamas baniu a Fatah. Chama-lhe democracia...

fiat lux disse...

Pois, não palmou território. Empochou.
Mas quem é que lhe garantiu que a seguir à democracia vem a Irmandade? E quem é que dá a quem quer que seja o direito de decisão sobre as aspirações alheias? E porque hão-de os milhões e milhões de árabes preocupar-se com os seus medos? São seus, resolva-os da melhor maneira, não queira é que este imenso mar de gente se sacrifique pelo seu descanso.

David Levy disse...

Eu não sei se vem a Irmandade ou não, não leu a "posta"? Será uma eventualidade...

Meu caro, eu sei como é que funcionam essas histórias "do mar de gente"...

fiat lux disse...

O 'mar de gente' foi uma alternativa para não repetir a palavra milhões, porque eu refiro-me aos milhões de árabes que existem dentro e fora do Egipto, independentemente de virem manifestar-se ou não.
É ou não é um mar de gente que teria de sacrificar-se pelo seu medo das eventualidades?

Anónimo disse...

"voluntariamente o que lhe é favorável e permitiu palmar mais território?"
"Pois, não palmou território. Empochou"

O território em causa era principalmente composto por zonas petroliferas e geograficamente equivalente ao território de Israel.

Nota-se assim o paradigma do português sobre a retrocessão de territorio por Israel ao Egipto, e sobre o conflito no médio Oriente em geral.

Anónimo disse...

"com o medinho que os outros tinham do comunismo. Mas quem se lixou com os medos alheios fomos nós."

Como se o comunismo fosse algo democrático.
Como se o comunismo fosse necessário para abolir qualquer regime.
É só ver a ideologia que motiva as actuais revoluções no magrebe.

Havias de ter dado um passeio "iniciatico" pelo goulag sovietico durante esses 50 anos já que não encontras melhor saída para Portugal durante a era salazar.

Espero que não sejas tão provinciano ao ponto de creer que lá por eu não defender o soviet supremo, estou Automáticamente nostálgico dos tempos pidescos do "maior português" ditador que tivemos.

fiat lux disse...

Não, o meu provincianismo vai apenas ao ponto de constatar que raciocinas por clichés.
Bom proveito...