sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Da cidade que ficou famosa por não queimar bandeiras de Israel


Centenas de pessoas manifestaram-se hoje junto à embaixada israelita no Cairo, onde tentaram impedir a entrada do embaixador e exigiram a sua deportação. Empunhando bandeiras palestinianas, queimaram bandeiras de Israel e gritaram "morte a Israel" entre outros impropérios. Os manifestantes pediram ainda ao Hamas para atacar o Estado Judeu  e exigiram o fim dos acordos de paz de Camp David.
Manifestantes a queimar a bandeira de Israel

4 comentários:

Anónimo disse...

É a "Democracia" Árabe, tão elogiada pela esquerda europeia, no seu melhor. E preparem-se, os cristãos coptas e outras minorias, estão já a colher os frutos destes generosos impulsos "democráticos" tão do agrado da esquerda e do jornalismo de causas.
F.G.

David Levy disse...

Durante a "democracia árabe" a bandeira de Israel foi queimada várias vezes no Cairo, facto extraordinariamente bem abafado. Estragava o conto de fadas.

RioD'oiro disse...

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2011/08/talvez-se-fique-agora-saber.html

Philosémite disse...

Blogs Nouvel Observateur
http://procheorient-faitsetrealites.blogs.nouvelobs.com/
Egypte Israël : situation confuse

La rue égyptienne crie "égorgeons les juifs"

Les manifestation anti-israéliennes ont été indiscutablement violentes. Drapeaux brulés, cris de haine, appels au meurtre, ... il est évident qu'une frange importante de la population égyptienne voudrait que son gouvernement de transition rejoigne les camps les plus extrémistes.