domingo, 18 de novembro de 2012

Israel tem o direito de se proteger


Vídeo da autoria do mais recente seguidor deste blogue. 

15 comentários:

António Pedro Barreiro disse...

Obrigado pela partilha, David. Shalom!

DL disse...

Eu é que agradeço António. Shalom! :)

Guilherme Antonio Morgado disse...

Vejam a diferença e a vossa monstruosidade!
http://gulfnews.com/israeli-strikes-kill-23-in-bloodiest-day-for-gaza-1.1106816

il disse...

E se for preciso eu ajudo a dar uns tirinhos nos terroristas mouros. Em Gaza só as que caem no mar é que são perdidas...

DL disse...

@ Guilherme António Morgado

Você tem de pedir contas ao Hamas que coloca propositadamente essas crianças no meio das suas operações terroristas.

لبيك يا نصر الله disse...

O momento que a entidade sionista escolheu para atacar, é sem dúvida o mais oportuno: Síria ocupada com os salafistas; Hamas fora de Damasco, canais de fornecimento de armamento bloqueados e liderança submetida à política externa do Qatar; túneis em Rafah fechados; Irmandade Muçulmana institucionalizada, em alianças com os EUA e com uma estratégia de expansão no mundo árabe (e não de confronto com Israel). Assim, é mais fácil atacar sem esperar qualquer retaliação, que só poderia vir do Hezbollah, da Síria ou do Irão, com quem o Hamas tem os laços cortados.
Mas, felizmente, isto não significam boas notícias para Israel. Israel está em vias de desaparecer, está a lutar pela sobrevivência. Israel testa nesta guerra a sua capacidade de dissuasão. Qualquer outro resultado que não a decapitação do Hamas, o fim da sua resistência armada, é uma derrota, tal como em 2008 e julho de 2006 no Líbano.
Cercados por todos os lados e sem capacidade de derrubar os movimentos armados, não poderão fazer mais do que render-se.

Anónimo disse...

@Guilherme Antonio Morgado.

A cobardia de se esconder por detrahs de civis inermes e' das maiores iniquidades daquela gente. Mais tragico ainda eh que o Islao nao nasceu assim.

Go_dot disse...

Caro Guilherme há sem sombra de duvida uma diferença fundamental.
Essencialmente Israel usa o exercito para proteger a população.
O hamas usa a população para proteger os terroristas.

Não pode ignorar o facto do Hamas, usar o civis, escolas, hospitais, mulheres e crianças, como escudo humano.

Se puder veja os links em baixo.
Civis como escudos humanos.

Oiça este bandalho.

Anónimo disse...

É completamente idiota pensar que no conflito árabe-israelita se decide o futuro de Israel. O que está em causa é o nosso próprio futuro e, mais genericamente, o futuro da Humanidade. O que é que queremos? Igualdade entre homens e mulheres? Liberdade de orientação sexual? Liberdade de expressão? Liberdade artística? Liberdade de criar? Liberdade para aprender? Ser governados por talibans e ayatolas com base em «leis» retiradas dum livro absurdo (Descartes ainda lhe chamou pior) que negam tudo o que referi nas perguntas anteriores?...
Naquele canto do Mediterrâneo, neste momento, os israelitas travam uma batalha por mim e pelos meus. As minhas preces estão eles, e os meus actos, nem que seja apenas por gratidão, também - incondicionalmente.
AM

لبيك يا نصر الله disse...

"O que está em causa é o nosso próprio futuro e, mais genericamente, o futuro da Humanidade."

Caro anónimo ou Samuel Huntington de trazer por casa. A análise que nos traz é de passar por cordel e vender na feira da ladra.
Perca alguns minutos do seu precioso tempo para estudar a política de alianças dos EUA: Arábia Saudita, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Kuwait,Bahrain, Oman, Jordânia, Turquia, os grupos de salafistas ou wahabitas financiados para derrubar a Jamahiriya, a República Árabe da Síria, à semelhança do que aconteceu no Afeganistão para o derrube da Revolução de Saur (os tais talibans). Estude isso, e tire da realidade concreta as devidas conclusões.

Neste conflito existencial o império joga a sua influência no Médio Oriente, sendo a entidade sionista o mais importante dos seus proxies ou client-states. Entidade essa que está condenada a desaparecer se o triângulo Irão-Síria-Hezbollah não for eliminado e se se tornar numa força económica e militar capaz de derrubar as petromonarquias e, pior, ficar sob a esfera de influência da Cooperação de Xangai.

Anónimo disse...

Não seja troglodita. Até a União Soviética concordou com a criação do Estado de Israel.
AM

Anónimo disse...

Samuel Huntington?!
Quer impressionar a plateia com a sua erudição? Pelo meu lado impressiona-me se demonstrar a conjectura de Riemann. Ou para não ser tão mauzinho: apresentando a solução de um problema do Erdos, dos de $25...
Deixe-se de teses vigaristas e tome lá um argumento matemático: Israel não começou um único conflito desde a sua fundação.
José

لبيك يا نصر الله disse...

"Até a União Soviética concordou com a criação do Estado de Israel."

É verdade. O que não invalida que Israel seja hoje um client-state dos EUA. Era o socialismo kibutzim que alterava as contas.

Caro José,
A estupidez do comentário de AM não passa na infantil. E aquilo que é estúpido tem que ser denunciado como tal.
Vamos aos factos: o maior aliado dos EUA na zona é um país onde as mulheres não podem ter carta de condução. Ponto final parágrafo.
Os países mais avançados na zona, são precisamente aqueles onde os EUA não metem os seus coutos sujos. O único Estado na zona que defende a emancipação da mulher, é a República Árabe da Síria. A emancipação da mulher é uma orientação constitucional, sendo portanto inconstitucionais todas as leis que as descriminam. O que quer os EUA?! Derrubar este Estado e meter lá os salafistas, como fez no Afeganistão. Ponto final parágrafo.

Em suma, quem neste momento defende a civilização e as forças progressistas, democráticas e anti-imperialistas, é o eixo da resistência. É a Síria, o Irão, o Hezbollah, os grupos armados para a libertação da Palestina. São eles que defendem a civilização contra a barbárie.

Você quer a revolução liberal na zona? Preocupe-se com os países que referi: Arábia Saudita, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Kuwait,Bahrain, Oman, Jordânia e Turquia. Porquê? Porque são os mais reaccionários.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Impressionante o vídeo do terrorista a «justificar» o uso de escudos humanos... mas só para quem desconheça o que é o Islamismo e os Árabes. Pode ser impopular e politicamente correcto dizê-lo, mas é a verdade: excepção feita a algumas pessoas civilizadas e boas, os muçulmanos são isto. E é disto que Israel suporta diariamente dentro e de volta do seu território.

Fernando P.

Anónimo disse...

Caro amigo do Hamas com um nick «arabês»,
Se o seu nível de excitação com o meu primeiro comentário é o evidenciado na sua prosa, nem imagino como ficaria se levasse com um rocket na moleirinha... embora lendo o seu último comentário talvez até nem lhe fizesse mal, porque só poderia ter um efeito terapêutico, dado ser evidente que tem um problema do foro psiquiátrico.

Caro DL,
Peço desculpa por lhe estar a sujar a casa, mas isso deve-se à impossibilidade de poder puxar o autoclismo e mandar o coprófago para o seu habitat natural.

AM