segunda-feira, 5 de abril de 2010

Apesar da crise, há quem tenha património obsceno

As políticas económicas neo-liberais, que têm sido aplicadas à economia portuguesa nos últimos anos, traduziram-se num forte aumento das desigualdades entre os mais ricos e os mais pobres. Enquanto milhares de trabalhadores explorados não têm acesso a uma habitação condigna, grandes empresas partidárias acumulam fortunas incalculáveis em imobiliário e detêm grande parte da propriedade. O escândalo assume maior dimensão quando ninguém sabe o valor exacto de tal património.
O Governo, lacaio do grande capital imobiliário e dos grandes grupos partidários, tem favorecido os partidos políticos em detrimento das rendas económicas e da habitação social para os mais desfavorecidos. Demonstra-se assim, que o sistema político português não está ao serviço do povo trabalhador e não cumpre o preceito constitucional de obter uma distribuição justa da riqueza.
Uma Nova Política Económica é por isso urgente e necessária. Uma política que promova atribuição de casas e prédios a quem não os tem e deles necessita, retirando-os aos grandes partidos proprietários, detentores do capital imobiliário especulativo.

5 comentários:

Anónimo disse...

Cuidado Levy,

olhe que a ironia passa mal. Ainda o tomam por um perigoso comunista.

Carlos Silva, Suíça

David Levy disse...

@ Carlos Silva

é bem capaz. Já tenho recebido reclamações de gente a perguntar-me se mudei de campo.

Paulo Sousa disse...

Portugal não tem sido governado com base em teorias neo-liberais. Se assim fosse o Estado não consumiria mais do 50% do PIB nem tantos portugueses dependiam directamente do Estado.
É curioso o facto de a Liberdade em Portugal estar refém da esquerda. Digo isto porque quando alguém da direita defende menos estado e mais liberdade na economia e nas relações laborais é de imediato acusado de ser neo-liberal, palavra aliás que há muito deixou de ser um substantivo e se tornou num adjectivo depreciativo.

David Levy disse...

@ Paulo Sousa

"Portugal não tem sido governado com base em teorias neo-liberais"

Claro que não, mas o PCP diz que sim, despeja essa cassete constantemente. Depois no fim tem fortunas acumuladas em património imobiliário. Nada opor ao acumular dos prédios, mas que eles não batem certo com o discurso do PCP, lá isso não batem.

Cirrus disse...

Das contas dos partidos, ressalta também que a dívida do PSD é maior que as dos outros partidos todos juntos. Estes gajos são sempre a mesma coisa, a esquerda é uma vergonha. Ah, pois, o PSD é de direita...