quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Mortos 30 - reacções 0

Combatentes islamistas da Al-Shabab mataram 30 pessoas num ataque a um hotel da capital somali, Mogadíscio. Pelo menos seis das vítimas eram deputados.
Na blogosfera palestinianista-anti-sionista nem um post de indignação, uma nota de roda-pé, um murmúrio, nada. Silêncio total. O mesmo acontece com as várias organizações de defesa da paz. Os respectivos sites relatam guerras, mas apenas as que envolvem o pérfido exército dos Estados Unidos.
Parece que estas 30 mortes valem menos do que outras, pelo que não terão direito a reacções acaloradas. E  a boicotes de protestomissões humanitárias, e  passeatas em frente à embaixada ainda menos.

7 comentários:

LGF Lizard disse...

Quando o assunto não mete nem americanos nem judeus, os ditos "activistas da paz" não mexem uma palha...

Cirrus disse...

Por acaso não sabia deste facto, o que não deixa de ser resultado do facto de andar a trabalhar fora de casa nos últimos dias, ou apenas pelo facto de não ter aparecido nas notícias, e isso talvez se deva ao abandono que alguns guardiões da ordem internacional votaram o povo da Somália, após derrotas militares.
Mas é uma situação evidentemente condenável. Fruto daquilo que combato com todas as minhas forças: a religião.
Apesar de tudo, e por oposição aos activistas da guerra, terei sempre orgulho se algum dia me chamarem activista da paz.

David Levy disse...

Sim, mas como deve saber não o coloco no mesmo saco dos que linkei.

Ramiro Marques disse...

David
Os media portugueses são profundamente islamófilos. Perdoam tudo aos islamitas e são extremamente duros com os EUA e Israel.
A esquerda estabeleceu uma aliança com o Islão radical no combate aos EUA e Israel.

Cirrus disse...

Eu devo ser de outro mundo, com certeza...

Daniel Santos disse...

parece que não estão disponíveis... estão mais interessados em discutir o lançamento do camarada ás eleições presidenciais.

Absurdo disse...

A sério que ainda acha que a "blogoesfera anti-sionista" alguma vez se preocupará com "pequenos incidentes revolucionários" destes?
Irremediavelmente optimista, o David...