sábado, 27 de março de 2010

Para memória futura

O futuro primeiro-ministro.

10 comentários:

Cirrus disse...

Eu até nem sou religioso, mas Deus nos livre, ò Levy!!

Anónimo disse...

Levy,

Não lhe dou 10 (dez!) meses à frente do Partido.

joão moreira

Levy disse...

@ cirrus

olhe que eu também não, nas julgo que Deus não o vai livrar dele. Posso estar enganado, mas já há muito tempo que vaticino que Passos Coelho seria líder do PSD e 1º ministro.
Na primeira acertei, vamos ver a segunda.

Levy disse...

@ João Moreira

É possível que tenha razão. Estamos num tempo em que já ninguém pode por as mãos no fogo por líder nenhum.
Mas nunca se esqueça de uma coisa: se o Sócrates foi 1º ministro, Passos Coelho também pode ser.

RioDoiro disse...

http://fiel-inimigo.blogspot.com/2010/03/do-psd.html

RioDoiro disse...

Levy:

"se o Sócrates foi 1º ministro, Passos Coelho também pode ser"

Pelas suas palavras, parece ser fundamental que PPC seja 'como' Sócrates para ser primeiro ministro.

Seja como for, suspeito que isso possa mesmo vir a dar-se por (hipoteticamente) ser tão mau como ele. Parece que a malta já só acredita em trafulhas.

.

Levy disse...

@ RioDoiro

Não me fiz entender. José Sócrates é o mais baixo da politica portuguesa. Estando Passos Coelho a cima dele, parece-me normal que chegue também a primeiro-ministro.

RioDoiro disse...

"parece-me normal"

Deus o oiça. Eu não estou tão certo disso (de ser normal).

RioDoiro disse...

Explicito um pouco melhor o que quero dizer.

Sou mas ou menos da mesma opinião que o Levy não estando certo de dois pressupostos: o de que PPC seja melhor que Sócrates (a ver vamos - por enquanto tem o benefício da dúvida) e que, caso seja, possa vir a ser ele eleito por ser melhor.

Basta que venha a dizer que a coisa pública tem que encolher que teremos o caldo entornado.

Estou certo que a malta ainda não percebeu que o estado está a esborrachar o país. Não percebeu por duas razões. Alguns não perceberam, pura e simplesmente, outros pretendem manter-se à sombra do elefante.

Uns e outros, caso chegue a hora da verdade, dirão que nunca apoiaram o patifoide e exigirão ... sabe-se lá o quê, mas com muita desordem. Nas desordens tudo pode acontecer.

Levy disse...

@ RioDoiro

Se PPC vier dizer que o Estado tem de encolher, teremos obviamente o caldo entornado. Mas não será uma originalidade, pois Sócrates começou o 1º mandato a dizer a mesma coisa. 5 anos depois, o Estado é maior do que nunca e gasta como nunca. PPC pode por isso dizer o que quiser, que só será levado a sério se o fizer.

A malta não percebe nada, e grande parte está muito satisfeita, porque vive daquilo que outros produzem.

Julgo que iremos assistir a desordem.