quarta-feira, 19 de maio de 2010

Só não fui por causa da tropa

O socialista, ex-UDP, ex-político, ex-deputado, ex-ministro Adjunto, ex-ministro da Administração Interna, ex-ministro das Obras Públicas, Jorge Coelho, deu hoje um ar da sua graça, e referiu-se à política com o desprezo de quem já não precisa dela para nada. Este abastado ex-governante teve a distinta lata de declarar que só um maluco é que se mete nisso e que se  quisesse podia ter sido primeiro-ministro.
Coelho conta com a sua velha máxima, de haver muita falta de memória na política e nos políticos, para debitar baboseiras sem o risco de ser confrontado com o facto de ter estado anos e anos na vida política e de ter enriquecido nesse período.  Mais um exemplo de como o cabotinismo prospera num país de desmemoriados.

3 comentários:

Daniel Santos disse...

Coelho... se for à caçador até que marcha, agora coelho armado ao pingarelho dispenso e de certeza que Portugal também.

David Levy disse...

@ Daniel

ah ah ah, eu nem assim. Não gosto nem de coelho, nem de pato.

Augusto disse...

É o problema dos Coelhos, sejam eles do PS ou do PSD.

Um pede perdão.....

O outro diz baboseiras.

Estão bem um para o outro