quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Atestados de parvoíce

Quase tão má como as medidas ontem anunciadas para reduzir a despesa do Estado, é a forma como o primeiro-ministro lida com o eleitorado e com os portugueses em geral. O principio é sempre o mesmo: trata-os como se fossem parvos.
Ontem, enquanto anunciava os cortes na função pública e o aumento dos impostos, foi incapaz de assumir a responsabilidade pela situação a que deixou chegar o país, e nem lhe passou pela cabeça pedir desculpas por isso. Pelo contrário, Sócrates ainda tentou lançar as culpas nas largas costas dos 'mercados internacionais' e da Oposição. Como se os mercados não se limitassem a reagir ao seu desgoverno, e como se fosse o PSD a governar.
Hoje, no debate quinzenal, comportou-se como se na véspera não tivesse apresentado ao país a factura da sua incompetência. Muito pelo contrário, o foguetório e a demagogia foram constantes, com a retirada de dois submarinos da cartola, e  acusando com isso o líder do CDS de despesismo. É impressionante o tamanho da lata do primeiro-ministro: colar Paulo Portas às despesas dos submarinos que o Governo de António Guterres encomendou. Quando era o ministro do Ambiente desse tempo, Sócrates não achou despesista a compra de 3 submarinos, agora lamenta-se porque teve de pagar 2. Ele que gere empresas públicas com passivos suficientes  para pagar mais de 20.
O caso do primeiro-ministro português é  único na Europa Ocidental, pois apesar de incompetente e medíocre, consegue a proeza de se manter no poder, recorrendo às habituais baixas tácticas do chico-espertismo - esse desporto nacional - e à constante passagem de atestados de parvoíce ao seu próprio povo. E tudo isto, sem que nada lhe aconteça.

2 comentários:

Daniel Santos disse...

três vezes o PSD perguntou o que mudou em quatro meses e porque razão as medidas anteriores, ao contrário do que disse Sócrates na altura, não chegaram e por três vezes Sócrates desconversou.

Joaquim Simões disse...

Isso parece-me a versão de fancaria da negação de Pedro, a começar porque se refere a um Sócrates que é uma má imitação de Alcibíades. E nem se pode, no caso, argumentar com o que pudesse ser um mau produto criado pelos chineses...
Bom, peguem lá estas:

http://aperoladanet.blogspot.com/2010/09/noticias-dos-construtores-do-universo.html

http://aperoladanet.blogspot.com/2010/09/pelas-devidas-compensacoes-aos-cidadaos.html