quarta-feira, 13 de maio de 2009

Depois das insónias, os arrepios

O primeiro-ministro, José Sócrates, considerou "arrepiantes" as recentes notícias sobre práticas de gestão fraudulenta no Banco Privado Português (BPP) e no Banco Português de Negócios (BPN) e pediu rapidez à autoridades judiciais na perseguição dos criminosos.
Sócrates é o homem dos dois pesos e das duas medidas. No caso BPN/BPP, as "notícias" são fiáveis e permitem conclusões (gestão fraudulenta). No caso Freeport, as notícias são campanhas negras destinadas a manchar o bom nome do 1º ministro. No caso BPN/BPP, aos administradores não lhes reconhece o direito ao bom nome e ao princípio da presunção de inocência, no caso Freeport, acusa a comunicação social de lhe manchar o bom nome e de não o presumir inocente. No caso BPN/BPP, pede à justiça, celeridade na perseguição dos criminosos, no caso Freeport, nem fala em criminosos e em justiça muito menos. Depois de ontem ter tido insónias, hoje teve arrepios. Quando chegará o dia em que terá vergonha?

3 comentários:

MJP disse...

Excelente!

Mariagaby disse...

Excelente, mesmo!
Respondendo à pergunta: "JAMÉ!", "JAMÉ!"

Levy disse...

MJP e MariaGaby,

e se repararem ele agora afirma que aquilo é um gestão fraudulenta, agora... depois de lá ter enterrado milhões de euros...