sábado, 9 de maio de 2009

Mais uma distribuição suportada pelo contribuinte

De cada vez que os iluminados especialistas em educação do Partido Socialista têm uma ideia, normalmente isso significa uns milhares de euros de aumento na despesa pública. Seguindo a habitual política de desresponsabilização e de dar tudo a todos, desta vez chegou a altura de ser a escola fornecer preservativos aos estudantes.
A existência de Educação Sexual nas escolas é um assunto polémico, que não está fechado, e que está relacionado com questões de saúde pública. Mas as relações sexuais não, são um acto privado, e não deve ser o Estado, através dos contribuintes, a financiá-lo.

11 comentários:

Maldonado disse...

Mas se o nosso Estado não apostar num política eficaz de educação sexual da população estudantil, mais cedo ou mais tarde acabará por ressentir-se disso: gravidezes indesejadas, abortos e infectados com DST's que inexorávelmente irão onerar o SNS, para não falar doutras consequências socio-económicas...
A Inglaterra é um triste exemplo disso: é o país da UE com maior número de gravidezes adolescentes.
Se formos a ver, o dinheiro dos contribuintes financia indirectamente a vida sexual dos cidadãos: p. ex. quando é aplicado na manutenção de maternidades e doutras especialidades médicas ligadas à sexualidade... :)

Levy disse...

Maldonado, :)

mas o que é a Educação Sexual tem a ver com a oferta de preservativos? Não se pode fazer educação sexual, sem se cair no extremo de oferecer preservativos? Porque é que têm de ser grátis? Já alguém avaliou os impactos que isso poderá ter?

provocação disse...

Acho que concordo. É que educação sexual não tem de ser incentivo ou patrocínio da mesma. Além de que os contraceptivos já são grátis nos centros de saúde locais...

Levy disse...

Provocação,

é como diz. Além disso, colocam-se 3 outras questões: a gratuitidade, passando para os alunos a ideia de que tudo é gratis e não custa dinheiro; o icentivo às relações sexuais, que do ponto de vista moral e político tem opositores, não devendo a escola impor uma determinada moral ou ideologia aos alunos; e é muito questionável que a escola se deve emiscuir em todos os assuntos. Quanto mais assuntos aborda, menos eficaz é.

Mil ideias disse...

Duvido que a implementação de medidas como esta sirva para responsabilizar quem quer que seja e duvido ainda mais da "pedagogia" subjacente a esta medida!!! Hoje, em dia, oferece-se tudo na escola...desde os canudos aos preservativos!!Viva o PS!!!

Levy disse...

Mil ideias,

oferece-se de facto tudo. Tudo é de graça. Mas aquilo que a escola deveria fazer, não o faz, porque não é gratis e dá trabalho. Vamos portanto vivendo de pão e circo, que agora será mais de circo e preservativos.

3virgula14 disse...

Ser professor(a) no tempo do Sócrates é um privilégio (ironicamente falando, claro). Os alunos estão bem equipados... é vê-los com o magalhães, portáteis... e agora com preservativos!!!

3virgula14 disse...

Professor(a) para o aluno: Menino, livro?
Aluno: Não!
Prof.: Caderno? Caneta? Lápis?
Aluno: Não!
Prof.: Peça ao menos uma folha e caneta a um colega!
Aluno: Não! Mas trouxe o preservativo 'do Sócrates' e o portátil com o Kanguru para comunicar com a malta umas cenas!

3virgula14 disse...

(Ver "a Escola transformada num albergue" a 13/04/2009)
Tendo em conta a transformação da Escola "num lupanar" acho de extrema simpatia o gesto desta oferecer os preservativos!!!

3virgula14 disse...

Agora a sério que o tema é sério!
Desde quando educação sexual é dar preservativos?
(A indústria dos preservativos agradece!)
Não se pode andar a tapar o sol com a peneira.
Educação sexual é mais do que incutir a ideia de “fazer com segurança”.
O objectivo da Educação Sexual nas Escolas passa por competências individuais.
O tomar decisões responsáveis – que passa por ‘fazer’ ou ‘não fazer’.
O recusar comportamentos não desejados ou que violem a dignidade e os direitos pessoais.

Senhor PM,
Páre de comprar as criancinhas (e outros que lhe estão atrelados). Parece aqueles papás divorciados que iludem/subornam os filhos para quando for feita a pergunta “de quem gostas mais?” a resposta ser “do papá”!
Páre de lançar areia para os olhos e deixe trabalhar quem verdadeiramente quer Ensinar alguma coisa a crianças que estão habituados a ter tudo sem nada fazer em troca para o merecer!
Eu sei, eu sei...as Suas intenções são boas mas como diz o zé povinho "cheio de boas intenções está o inferno cheio!"

Levy disse...

Cara 3,14

o que são isso das competencias individuais?
Quem é que determina a moral subjacente a educação sexual?
Quem deve dar as aulas? Que fazer se os professores não concordarem pessoalmente com as orientações do ME?
A ES deve ser obrigatória?